PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Moisés elege "o jogo" do título e lembra de não a proposta do exterior

Moisés elegeu a vitória contra o São Paulo como a mais importante do título - Daniel Vorley/AGIF
Moisés elegeu a vitória contra o São Paulo como a mais importante do título Imagem: Daniel Vorley/AGIF

Do UOL, em São Paulo

26/11/2018 16h52

Moisés elegeu o clássico contra o São Paulo como o jogo-chave da conquista do Brasileirão pelo Palmeiras. Para o meio-campista, o triunfo foi o que deu o recado a todos os times que dificilmente a equipe sairia dos trilhos em busca do deca.

VEJA TAMBÉM: Decademia de futebol, uma conquista de cinema

O jogo do segundo turno quebrou um tabu sem vitórias no Morumbi que já durava 16 anos. Com gols de Deyverson e Gustavo Gómez, a equipe abriu três pontos de vantagem naquela rodada e ainda venceu o confronto direto com um concorrente pelo título.

"Sempre tem uns jogos bem marcantes. Aquele contra o São Paulo no Morumbi, para mim, demonstrou que a gente estava num caminho bem correto e que dificilmente deixaria escapar. Mostramos uma maturidade muito grande para superar um adversário que vivia um bom momento", afirmou o camisa 10 em entrevista à ESPN.

Moisés ainda lembrou da negativa que deu ao Pyramids, do Egito, o mesmo time que levou Keno. O meio-campista poderia sair para aumentar seu salário, mas preferiu continuar no Palmeiras para buscar o seu segundo título do Brasileirão.

"Tive proposta no meio do ano, isso ficou bem claro, todos acabaram sabendo na hora que chega. Na hora que foi, a gente pensa um pouco no lado familiar, na vida financeira, porque seria uma coisa que me ajudaria muito, não tem como esconder. Mas o projeto que se tem no Palmeiras e tudo aquilo que se envolve de uns anos para cá, a gente tem que colocar na balança. Com minha família, com o Alexandre, o presidente, entendemos que era hora de permanecer. Estou no melhor clube do Brasil, totalmente estruturado, me dá melhores condições para estar sempre bem. Sem dúvida, foi uma decisão muito acertada de permanecer e coroar um grande título. Isso não tem preço que pague", analisou.

O meia ainda afirmou que vai atualizar a sua tatuagem. Quando ganhou o título do Brasileiro em 2016, ele tatuou a taça da conquista na sua perna.  Ele ainda brincou e disse que pretende “fechar o corpo” com desenhos das conquistas.

“Se depender de mim, quero ficar igual o Dudu. Aqui vou só colocar o ano de 2018, por enquanto. Se Deus quiser, vamos conquistar mais títulos aqui no palmeiras, porque a estrutura, o planejamento, tudo que se envolve no palmeiras, vai continuar sendo protagonista nos próximos anos. Estou muito feliz, contente.”

Esporte