PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Derrotas consecutivas em casa abrem discussão: "Corinthians está manjado?"

Danilo Lavieri e José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

28/08/2017 04h00

O Corinthians fechou o primeiro turno do Campeonato Brasileiro invicto. Porém, logo na primeira partida que disputou no returno, em casa, sofreu uma derrota para o Vitória por 1 a 0. Neste sábado (26), diante do lanterna Atlético-GO, mais um revés pelo mesmo placar e novamente diante da sua torcida. O desempenho semelhante dos adversários e do time alvinegro nas duas partidas fez levantar a questão: Corinthians está manjado?

Nos dois jogos, Vitória e Atlético-GO adotaram a mesma postura. Ficaram recuados e jogaram por uma oportunidade. Com mais posse de bola, o Corinthians passou a ter mais dificuldade para definir as diversas conclusões que criou. Muitas vezes, também apostou nas bolas alçadas na área.

"Vou pegar para analisar melhor os lances na segunda-feira, na reapresentação, para saber se tínhamos outra opção de jogada. No primeiro tempo o Atlético-GO nos deu oportunidade para chutar de fora. Eu coloquei depois o Carlinhos porque o jogo estava pelos lados, e era bom ter mais um jogador de referência para ver se a gente conseguia fazer o gol", disse o treinador Fábio Carille, que se mostrou preocupado com o desenrolar de algumas jogadas nestas partidas.

"Essa parte final nossa, fizemos o que foi trabalho com triangulações na chegada, mas deixamos de fazer isso em alguns momentos", completou o comandante.

Tal desempenho de Vitória e Atlético-GO demonstra que os adversários já perceberam o estilo de jogo do Corinthians. Coincidentemente ou não, nos 15 jogos que ganhou neste nacional, o Corinthians teve média de 49,4% de posse de bola - ou seja, menos que os adversários. Já nas duas derrotas, a média corintiana subiu para 67%. Ou seja, o líder do campeonato é mais eficiente quando menos tem a bola nos pés.

"Como o Carille falou, nosso time passa a ser estudado pelo primeiro turno que fizemos e fomos muito bem. Jogo de atenção, em que eles jogam por uma bola e o nível de concentração nosso tem de estar lá em cima. Aconteceu isso, um gol de bola parada, lutamos, corremos e não conseguimos concluir em gol", avaliou o lateral esquerdo Moisés.

Apesar de provavelmente ter de enfrentar os adversários mais recuados, o Corinthians não cogita uma mudança muito drástica no seu sistema de jogo para as próximas rodadas. A equipe só volta a jogar no dia 10 de setembro, contra o Santos.

"Antes a gente tinha a equipe a ser batida. Todos os times vinham jogar contra a gente, em uma forma mais defensiva e a nossa equipe conseguiu ter êxito. Nós sabemos que todo jogo vai ser difícil. O Atlético-GO soube se defender bem, mas criamos bastante, mas acho que só na hora de fazer os gols que acabamos pecando. Faz parte futebol é assim, temos de trabalhar para melhorar no jogo contra o Santos", disse Jadson.

"Não está tudo errado, fizemos um primeiro turno praticamente perfeito. Dois jogos no segundo turno dentro de casa contra equipes que lutam contra o rebaixamento e você perder é claro que gera uma dúvida. Mas futebol é feito de detalhes, foram detalhes. Eles tiveram duas chances de gols. É voltar a concentração muito grande, e nesses dois jogos deixamos um pouco neste sentido", completou o zagueiro Pablo.

Esporte