PUBLICIDADE
Topo

Alemão - 2019

Dar só W.O. contra o Vitória é "sepultar o Baiano", diz presidente do Bahia

MARGARIDA NEIDE/AGÊNCIA A TARDE/ESTADÃO CONTEÚDO
Imagem: MARGARIDA NEIDE/AGÊNCIA A TARDE/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

19/02/2018 17h01

A Federação Bahiana de Futebol (FBF) já confirmou o triunfo do Bahia sobre o Vitória por W.O., mas o clube tricolor acredita que a punição ao rival deveria ser maior. Para o presidente Guilherme Bellintani, a decisão prejudica o Campeonato Baiano por inteiro.

“Minha principal posição é em relação ao time que abandonou o campo. Não dá para entender que um time abandone o campo e receba somente um W.O. Se a federação fizer somente isso, ela estará sepultando o Campeonato Baiano”, disse o mandatário ao Esporte Interativo.

Para se mostrar mais justo na avaliação, Bellintani ainda disse que a entidade deveria punir adequadamente todos os envolvidos na confusão, incluindo os jogadores do próprio Bahia.

“Eu já conversei ontem com o presidente deliberativo do Vitória, à noite mesmo. A posição do Bahia é mais em relação à Federação e com o futuro do futebol baiano. Que todos os jogadores envolvidos saiam punidos, até os do Bahia”, acrescentou.

Assinada pelo árbitro Jaílson Macêdo Freitas, a súmula do polêmico confronto confirmou o triunfo do Bahia por 3 a 0, resultado que já foi até registrado na tabela oficial do estadual.

Bellintani - Felipe Oliveira / EC Bahia - Felipe Oliveira / EC Bahia
Presidente do Bahia, Guilherme Bellintani acredita que a punição foi branda
Imagem: Felipe Oliveira / EC Bahia

O que aconteceu no confronto

A partida foi encerrada antecipadamente porque o Vitória ficou com apenas seis jogadores em campo - um time precisa ter ao menos sete para seguir jogando. Kanu, Rhayner, Denilson, Uillian Correia e Bruno Bispo, do Vitória, levaram vermelho. No Bahia, os expulsos foram Lucas Fonseca, Vinícius, Rodrigo Becão e Edson, sendo que os dois últimos estavam no banco.

Denilson abriu o placar para o Vitória no 1º tempo. A briga começou quando Vinicius, do Bahia, fez o gol do empate, no 2º tempo. Ele converteu a penalidade e fez uma dança de "créu" na comemoração, em frente à torcida rubro-negra, o que irritou os jogadores do Vitória. Com isso, uma briga generalizada teve início e fez com que a partida ficasse paralisada por 16 minutos.

Depois da briga, a partida foi reiniciada, mas durou pouco. Primeiro, Uillian Correia foi expulso por fazer falta dura em Zé Rafael. Depois, Bruno Bispo também recebeu o cartão vermelho por chutar a bola para longe e retardar uma cobrança de falta e deixou o Vitória com apenas seis jogadores em campo, o que fez o árbitro encerrar a partida aos 34min do segundo tempo.

O que diz o regulamento

Art. 56 – Nenhuma partida poderá ser disputada com menos de sete (7) atletas ou com a ausência de um dos clubes disputantes.

§ 3º – Após o início da partida, se uma das equipes ficar reduzida a menos de sete (7) atletas, dando causa a essa situação, tal equipe perderá os pontos em disputa.

§ 4º – O resultado da partida será mantido, na aplicação do § 3º, se, no momento do seu encerramento, a equipe adversária estiver vencendo a partida por um placar igual ou superior a três (3) gols de diferença; e se tal não ocorrer, o resultado considerado será de três a zero (3 x 0) para a equipe adversária.

§ 5º – Os impedimentos automáticos e as penalidades impostas pelo STJD pendentes de cumprimento pelo clube ou pelos atletas do clube que não deu causa ao W.O., serão considerados cumpridos em ocorrendo quaisquer das hipóteses constantes do caput ou parágrafos deste artigo.