PUBLICIDADE
Topo

Futebol Americano

Técnico da NFL enfrenta câncer e faz tratamento até no intervalo de jogo

Ron Rivera, técnico do Washington Football Team, enfrenta um câncer - Rob Carr/Getty Images
Ron Rivera, técnico do Washington Football Team, enfrenta um câncer Imagem: Rob Carr/Getty Images

Lucas Tieppo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

20/09/2020 11h00

Ron Rivera tem um dos maiores desafios da temporada atual da NFL ao comandar o polêmico Washington Football Team. O ano do treinador ganhou ainda mais um motivo para ser desafiador já que Rivera foi diagnosticado com câncer em células escamosas do sistema linfático no final de agosto. Desde então, o californiano enfrenta o tratamento enquanto comanda um dos times mais complexos do futebol americano.

Apesar da complexidade do tratamento de um câncer, Rivera afirmou que foi encorajado pelos médicos a seguir a rotina de treinos e jogos enquanto for possível. A doença de Rivera está em um estágio inicial e, segundo os médicos, tem grandes chances de ser vencida.

Por enquanto, não existe a possibilidade dele deixar o cargo, apesar de a franquia trabalhar com a possibilidade de um "plano B", mas algumas adaptações e mudanças devem acontecer. A primeira delas ocorreu na estreia da temporada no último fim de semana.

O treinador não pôde participar da reunião durante o intervalo da partida contra o Philadelphia Eagles pois estava recebendo uma medicação intravenosa que faz parte do tratamento contra o câncer. Coube ao quarterback Dwayne Haskins comandar a conversa e tentar animar a equipe que naquele momento perdia por 17 a 7.

O time se recuperou e dominou o segundo tempo, marcando 20 pontos e não sofrendo nenhum. No final, uma inesperada vitória por 27 a 17.

Rivera conversou com o jornalista John Keim, da ESPN norte-americana, e explicou que o tratamento já estava planejado para que ele conseguisse comandar o time no campo de forma segura. A maior preocupação dele era que alguém liderasse a equipe no período de ausência, posto que foi ocupado por Haskins.

"Eu disse que deveriam garantir que alguém subiria no pódio para falar. Dwayne se aproximou e parece que foi uma grande confusão", afirmou Rivera.

Antes da estreia, Rivera perdeu um treinamento da equipe por conta da quimioterapia. O tratamento terá cinco sessões por semana pelas próximas sete semanas, o que pode interferir novamente na rotina da equipe.

A notícia da doença de Rivera é mais uma adversidade a ser enfrentada pela franquia da capital norte-americana. Após anos de protestos, o apelido Redskins foi abandonado por ser considerado ofensivo aos índios nativos do país por pressão de patrocinadores e personagens importantes do esporte. Pouco depois, surgiram acusações de existir uma cultura que favorece o assédio moral e sexual na equipe comandada por Daniel Snyder. As investigações ainda estão em andamento.

Rivera chegou ao time de Washington no começo do ano depois de nove temporadas no comando do Carolina Panthers. No período, o californiano de 58 anos venceu duas vezes o prêmio de melhor técnico do ano e levou a franquia ao Super Bowl 50, mas acabou derrotado pelo Denver Broncos.

A missão dele ao assumir o comando de Washington já era complicada, pois a equipe não teve desempenho positivo nas últimas três temporadas. Rivera ainda assumiu um papel importante na mudança de cultura da equipe e agora tem o desafio pessoal de enfrentar um câncer. Tudo isso com a temporada da NFL em andamento.

Futebol Americano