PUBLICIDADE
Topo

Tales Torraga

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Histórico da Recopa aponta 72% de chances de título para o Palmeiras

Abel Ferreira no comando do Palmeiras contra o Defensa y Justicia - Cesar Greco/ Ag. Palmeiras
Abel Ferreira no comando do Palmeiras contra o Defensa y Justicia Imagem: Cesar Greco/ Ag. Palmeiras
Tales Torraga

Jornalista e escritor, Tales Torraga nasceu em Mogi das Cruzes (SP), mas é, segundo os colegas, "mais argentino que os próprios argentinos". Morou em Buenos Aires e Montevidéu, girou pela imprensa brasileira e portenha e escreveu 15 livros ? o último deles, Copa Loca, é sobre a...Argentina nos Mundiais.

Colunista do UOL

14/04/2021 09h17Atualizada em 14/04/2021 09h39

O Palmeiras entra em campo às 21h30 de hoje (14) em Brasília como favorito para ficar com o título da Recopa Sul-Americana. E há até um índice para comprovar esta superioridade: 72,2%. É esta a quantidade de vitórias do campeão da Libertadores sobre o campeão da Sul-Americana desde a adoção do atual formato da Recopa, em 2003.

A Recopa existe desde 1988, mas no princípio a decisão colocava frente a frente o campeão da Libertadores e o campeão da Supercopa da Libertadores. Tal confronto prevaleceu até 1998 (com a exceção de 1994, quando o Botafogo, ganhador da Conmebol, encarou o São Paulo).

Com a criação da Sul-Americana em 2002, a Recopa iniciou o confronto Libertadores x Sul-Americana em 2003, com o título do Olimpia contra o San Lorenzo. Aquela seria a primeira vez de 13 que o título da Recopa ficaria com o ganhador da Libertadores. Em apenas cinco ocasiões o vencedor da Sul-Americana faturou também a Recopa. E a última foi no já distante 2015, quando o River Plate de Marcelo Gallardo superou o San Lorenzo de Patón Bauza.

O Defensa y Justicia que vai a campo nesta noite aposta em uma façanha para reverter o 2 a 1 sofrido na ida na semana passada na Argentina. E os números estão aí para realmente colocar o triunfo neste lugar especial. O time de Sebastián Beccacece terá a seguinte formação em Brasília: Ezequiel Unsain; Matías Rodríguez; Adonis Frías, Fernando Meza, Marcelo Benítez; Francisco Pizzini, Raúl Loaiza, Enzo Fernández, Carlos Rotondi; Braian Romero e Walter Bou. São exatamente os 11 que começaram a partida da semana passada.

A divisão dos títulos da Recopa entre campeões da Libertadores e Sul-Americana:

Libertadores - 13
Olimpia 2003, Inter 2007, Boca 2008, LDU 2009, Inter 2011, Santos 2012, Corinthians 2013, Atlético-MG 2014, River 2016, Atlético Nacional 2017, Grêmio 2018, River 2019 e Flamengo 2020

Sul-Americana - 5
Cienciano 2004, Boca 2005 e 2006, LDU 2010 e River 2015