PUBLICIDADE
Topo

Tales Torraga

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

O dia em que a torcida do San Lorenzo invadiu o campo e assustou o Flamengo

Torcida do San Lorenzo carrega meio-campista Michelini - Reprodução El Gráfico
Torcida do San Lorenzo carrega meio-campista Michelini Imagem: Reprodução El Gráfico
Tales Torraga

Jornalista e escritor, Tales Torraga nasceu em Mogi das Cruzes (SP), mas é, segundo os colegas, "mais argentino que os próprios argentinos". Morou em Buenos Aires e Montevidéu, girou pela imprensa brasileira e portenha e escreveu 15 livros ? o último deles, Copa Loca, é sobre a...Argentina nos Mundiais.

Colunista do UOL

06/04/2021 12h00

Jogar sem público no Nuevo Gasómetro será um bom negócio para o Santos a partir das 21h30 de hoje (6). Apesar da sua torcida ser considerada mais tranquila que a dos outros grandes argentinos, o San Lorenzo também tem episódios assustadores envolvendo os seus fanáticos contra times brasileiros.

O principal deles ocorreu na decisão da Copa Mercosul de 2001, realizada em janeiro de 2002 devido à crise política na Argentina, que atravessava um estado de sítio e caos nas semanas anteriores. Recebendo o Flamengo, o San Lorenzo empatou no tempo normal por 1 a 1 e levou a decisão para os pênaltis. Embora o público oficial tenha sido de 42 mil pessoas, os vídeos mostram que não é exagero imaginar que mais de 50 mil estavam no Nuevo Gasómetro. Quem tem familiaridade com a Argentina sabe que estádios superlotados em finais são tão tradicionais no país quanto o tango e o mate.

Os pênaltis foram dramáticos. Juan bateu o primeiro e Saja, goleiro do San Lorenzo (depois passou pelo Grêmio), defendeu. Júlio César, do Flamengo, parou as cobranças de Acosta e Serrizuela. Petkovic e Andrezinho marcaram e abriram 2 a 0. O título parecia nas mãos do Fla.

Veio então então o empate, gols de Romagnoli, Pusineri e Saja, enquanto pelo Flamengo só Édson converteu o seu antes das cobranças alternadas. Saja espalmou o chute de Roma e desatou a loucura no Nuevo Gasómetro. Antes da cobrança de Capria, a torcida do San Lorenzo estourou o alambrado do gol contrário e invadiu o campo mesmo com a decisão em andamento.

"Os policiais olham e não fazem nada, essa é Argentina", criticou o narrador Mariano Closs (até hoje o mais popular do país) no microfone do Fox Sports. "Os policiais devem estar cansados de tanto trabalhar, a verdade é essa", reforçou Silvio Luiz na Bandeirantes. "Isso não pode acontecer, a Conmebol precisa paralisar o jogo, punir o San Lorenzo e interditar o estádio", dizia Cléber Machado na transmissão da Globo.

"Não é a primeira vez, isso já aconteceu no Campeonato Argentino", lembrava o repórter Titi Fernández, dialogando com Closs, enquanto o juiz pedia as garantias de segurança para a cobrança derradeira. A decisão ficou paralisada por 12 minutos, com o goleiro Saja tentando controlar a torcida. Capria então fuzilou Júlio César, garantiu o título e iniciou uma invasão histórica, com os fanáticos tomando o uniforme dos jogadores do San Lorenzo, que deram a volta olímpica só de sunga no ombro dos torcedores.

Na transmissão da Globo, Cléber Machado ainda se assustava com uma tentativa de invasão no vestiário do Flamengo: "Os jogadores saíram correndo e não sabem o que vai acontecer", alertou. Todos escaparam ilesos.

A ficha técnica publicada pelo UOL naquela decisão:

SAN LORENZO
Saja; Serrizuela, Ameli, Capria e Paredes; Franco (Pusineri), Michelini, Erviti e Romagnoli; Estevez (Rodríguez) e Acosta
Técnico: Manuel Pellegrini

FLAMENGO
Julio César; Edson, Juan, Fernando (André Bahía) e Cassio; Leandro Ávila, Jorginho, Rocha (Andrezinho) e Petkovic; Roma e Leandro Machado (Jackson)
Técnico: Carlos Alberto Torres

Local: Estádio Nuevo Gasómetro, em Buenos Aires (ARG)
Público: 42 mil pagantes
Àrbitro: Oscar Ruiz (COL)
Auxiliares: Jorge Arango (COL) e Dember Perdomo (COL)
Cartões amarelos: Michelini, Estevez e Acosta (S); Fernando, Edson e Roma (F)
Gols: Leandro Machado (F), aos 11min do primeiro tempo; Estevez (S), aos 22min do segundo tempo
Pênaltis: Petkovic (F), Romagnoli (S), Andrezinho (F), Pusineri (S), Saja (S), Edson (F) e Capria (S) marcaram; Acosta (S), Juan (F), Serrizuela (S), Cassio (F) e Roma (F) perderam