PUBLICIDADE
Topo

Tales Torraga

Maradona caiu e bateu a cabeça uma semana antes de morrer

Tales Torraga

Jornalista e escritor, Tales Torraga nasceu em Mogi das Cruzes (SP), mas é, segundo os colegas, "mais argentino que os próprios argentinos". Morou em Buenos Aires e Montevidéu, girou pela imprensa brasileira e portenha e escreveu 15 livros ? o último deles, Copa Loca, é sobre a...Argentina nos Mundiais.

Colunista do UOL

30/11/2020 07h06

Diego Armando Maradona caiu em sua casa e bateu o lado direito da cabeça no último dia 19, uma quarta-feira. Sete dias depois, o ex-craque de 60 anos morreu após uma parada cardiorrespiratória.

Maradona - Reprodução/Twitter - Reprodução/Twitter
Maradona acena para uma criança em seus últimos dias de vida
Imagem: Reprodução/Twitter

Esta é mais uma informação que consta no depoimento dos enfermeiros aos investigadores da morte de Diego. A primeira a divulgar a novidade foi o canal de TV C5N, de Buenos Aires, neste domingo, e nas primeiras horas desta segunda (30) a coluna confirmou que sim, Ricardo (sobrenome não divulgado) e Dahiana Gisela Madrid, os dois profissionais que cuidaram de Diego em suas últimas 24 horas, reportaram isso em suas afirmações.

Questionado ontem (29) sobre a queda, Leopoldo Luque, médico pessoal de Maradona, disse que não sabia. "Se houve algo, a autópsia vai revelar", contou, em entrevista coletiva realizada em sua casa no bairro de Adrogué, na capital argentina.

A informação da queda é essencial para entender se houve ou não negligência no atendimento a Maradona, pois o Diez não deixou sua casa e não fez nenhum estudo para averiguar se o golpe teria causado novas lesões - o que causa perplexidade, pois ele havia operado o cérebro e a alta completava apenas uma semana no dia em que ele sofreu o tombo. A batida de cabeça ocorreu no lado direito do crânio. A cirurgia de Maradona foi no esquerdo.

A C5N especulou que a queda foi causada por uma falta de firmeza nos joelhos debilitados de Maradona, o que o médico tampouco confirmou.

Maradona e Luque se desentenderam no dia 19, a quinta-feira anterior à sua morte, e Diego o expulsou de sua casa aos empurrões. "Minha relação com ele era assim, ele me expulsava e depois me telefonava", confirmou.

O médico entendeu que o melhor a fazer era recuar e não contrariar Maradona - ao contrário do depoimento dos enfermeiros, falando que a visita do dia 19 teria sido sua última, Leopoldo contou que esteve na casa de Diego também na sexta e no domingo para retirar os pontos e para conferir como estava o ex-craque.