PUBLICIDADE
Topo

Saque e Voleio

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Kyrgios supera dores no ombro, bate Nakashima e vai às quartas em Wimbledon

Reuters
Imagem: Reuters
Alexandre Cossenza

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais. Contato: ac@cossenza.org

Colunista do UOL

04/07/2022 12h49

Desde os primeiros instantes desta segunda-feira em Wimbledon, Nick Kyrgios mostrava desconforto no ombro direito. Ao longo do duelo de oitavas de final com o americano Brandon Nakashima (20 anos, #56 do mundo), o australiano recebeu atendimento médico mais de uma vez, mas seguiu disparando bombas acima dos 200km/h. Após perder o quarto set, porém, Nick quebrou o saque de Nakashima duas vezes na parcial decisiva e manteve seu serviço até fazer 4/6, 6/4, 7/6(2), 3/6 e 6/2.

A vitória significa que Kyrgios avança pela terceira vez na carreira às quartas de final de um slam. O australiano de 27 anos, contudo, nunca alcançou uma semi. Desta vez, ele será favorito para ficar entre os quatro melhores de Wimbledon, já que enfrentará o chileno Cristian Garín (26 anos, #43). O sul-americano, após estar perdendo por 2 sets a 0 nesta segunda-feira, bateu de virada o australiano Alex De Minaur por 2/6, 5/7, 7/6(3), 6/4 e 7/6(6).

Garín e Kyrgios avançaram no quadrante que era encabeçado por Tsitsipas e Berrettini no começo do torneio. O grego foi eliminado por Kyrgios nas oitavas, enquanto o italiano, que vinha de título no ATP 500 de Queen's e era o grande favorito para alcançar as semifinais, deixou a competição antes da estreia porque testou positivo para covid-19.

Para Nakashima, a derrota significa não aproveitar a chance de alcançar as quartas de um slam pela primeira vez na carreira. Ele também se tornaria o americano mais jovem nas quartas de final de Wimbledon desde 2003, quando Andy Roddick avançou até as semifinais com 20 anos e 310 dias de vida.

Rota de colisão com Nadal

Vivo no torneio e jogando um belo tênis Kyrgios segue sendo o nome mais cotado para duelar com Rafael Nadal por uma vaga na decisão do torneio deste ano - se as dores no ombro continuarem sob controle, é claro. Rafa, por sua vez, ainda tem um jogo a mais a fazer. Ele entra em quadra nesta segunda-feira, ainda pelas oitavas, para enfrentar o holandês Botic Van De Zandschulp.

.

Quer saber mais? Conheça o programa de financiamento coletivo do Saque e Voleio e torne-se um apoiador. Com pelo menos R$ 15 mensais, apoiadores têm acesso a conteúdo exclusivo (newsletter, podcast e Saque e Voleio TV), lives restritas a apoiadores, além de ingresso em grupo de bate-papo no Telegram, participação no Circuito dos Palpitões e promoções imperdíveis.

Acompanhe o Saque e Voleio no Twitter, no Facebook e no Instagram.