PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Brasileira campeã da São Silvestre morre de covid aos 52 anos

Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

08/04/2021 13h07

O esporte brasileiro perdeu hoje (8) mais um ídolo para a covid. Campeã da Corrida Internacional de São Silvestre em 1996, Roseli Aparecida Machado morreu no começo da manhã desta quinta-feira em Curitiba (PR), aos 52 anos. De acordo com a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), ela estava intubada havia duas semanas

"A CBAt registra o seu profundo pesar pela perda da Roseli e presta seus sentimentos aos familiares e amigos", lamentou a entidade, em nota.

Natural de Coronel Macedo (SP), ela foi criada em Santana do Itararé (PR), onde começou a treinar. Aos 14 anos, passou ao Centro de Treinamento de Londrina (PR), sob os comandos de Antônio Carlos Gomes. Tinha acabado de completar 26 anos quando se tornou a segunda brasileira a ganhar a São Silvestre, em 1996, repetindo o feito de Carmen Oliveira no ano anterior. Na história, até hoje, só cinco brasileiras foram campeãs nas ruas de São Paulo.

Roseli também foi aos Jogos Olímpicos de Atlanta, naquele ano de 1996, terminando em 22º lugar nos 5.000m. Sua carreira, porém, terminou logo depois, em 1997, por causa de uma cirurgia malsucedida. Depois, formou-se em Educação Física e especializou-se em Fisiologia do Exercício, trabalhando a partir de 2002 como treinadora de atletismo.

"A Roseli teve uma história no atletismo brasileiro, venceu a São Silvestre, integrou a seleção brasileira, treinou nos Estados Unidos. Nós tínhamos uma grande amizade, fomos atletas pelo mesmo clube, treinamos juntos quando eu era juvenil, defendemos Londrina no começo das nossas carreiras. Estou muito sentido, vem as lembranças... Treinamos juntos na pista de Londrina quando era de saibro ainda", comentou o presidente do Conselho de Administração da CBAt, Wlamir Motta Campos.

Siga o Olhar Olímpico no Twitter e no Instagram e receba atualizações diárias no canal do Telegram.

No ano passado ela foi candidata a vereadora na cidade de Almirante Tamandaré, também no interior do Paraná, pelo PSL. Recebeu 128 votos e não conseguiu se eleger.