PUBLICIDADE
Topo

Marília Ruiz

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Marília Ruiz: Reunião na CBF para 'digerir' mal estar provocado pelo STJD

Marília Ruiz

Tenho 20 anos de jornalismo esportivo: 5 Copas do Mundo, 4 Olimpíadas, muitos Brasileiros, alguns Mundiais e várias Copinhas. Neste blog seguirei fazendo isso: escrevendo sobre futebol. Sem frescura. Sem mimimi. Para versões oficiais dos clubes e atletas, recomendo procurar as assessorias de imprensa.

08/09/2021 12h59

Acontece neste momento uma reunião dos presidentes dos clubes da Série A e da Série B para discutir a volta do público, assunto indigesto desde que o STJD se antecipou a dar a "vantagem" só ao Cruzeiro em caráter liminar (na 20ª. rodada) e para todas as demais partidas (em decisão do último dia 30). Pior ainda com a liberação de "testes" no Maracanã.

Havia sido decidido, em acordo de cavalheiros antes do início da competição, que o público voltaria para todos os participantes ao mesmo tempo. A iniciativa do Cruzeiro foi vista com antipatia. A do Flamengo idem. Em embate quente há pouco, o presidente do STJD, Otávio Noronha, foi acusado de ter beneficiado seu time (azul) de coração.


A CBF tenta diminuir a temperatura e estender o "benefício" a todos os filiados.

O problema apontado por vários é que Estados/municípios têm políticas diferentes de reabertura das arenas para a torcida, e que a mudança desequilibraria a disputa em favor de alguns.

O Flamengo, por exemplo, nem participa da reunião, porque acha que esse não é assunto da CBF, que não teria competência política e sanitária para deliberar sobre o assunto. O Grêmio, adversário do clube carioca na semana que vem pelo jogo de volta da Copa do Brasil, avisou a CBF que não entrará em campo se tiver público no Maracanã.

O Flamengo está sozinho na Série A do Brasileiro também. Os outros 19 mantiveram a decisão de manter os estádios vazios até que todas as cidades possam receber público. Há inclusive um consenso de paralisar a rodada caso o Flamengo abra os portões para sua torcida.