PUBLICIDADE
Topo

Fábio Seixas

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Programe-se: GP da Estíria

Verstappen, Pérez, Tsunoda e Gasly, pilotos da Red Bull e da AlphaTauri, em atividade promocional para o GP da Estíria  - Red Bull
Verstappen, Pérez, Tsunoda e Gasly, pilotos da Red Bull e da AlphaTauri, em atividade promocional para o GP da Estíria Imagem: Red Bull
Conteúdo exclusivo para assinantes
Fábio Seixas

Fábio Seixas é jornalista com mestrado em Administração Esportiva e passagens por veículos como Folha de S.Paulo, SporTV e TV Globo. Cobriu mais de 170 GPs de F-1, esteve em duas temporadas da Indy e chegou a pilotar um Benetton em Paul Ricard. Voltou para os boxes rebocado.

Colunista do UOL

24/06/2021 10h46

A Red Bull chegou a Zeltweg falando grosso. Marko comentou sobre as chances de cinco vitórias em série, Verstappen diz esperar dois finais de semana muito fortes, Horner declarou que "se pudemos vencer a Mercedes em Paul Ricard, podemos vencer em qualquer lugar".

Zeltweg é a corrida de casa da equipe. Literalmente: a empresa de energéticos é a dona do autódromo que recebe as duas próximas etapas do Mundial, o GPs da Estíria e da Áustria. Mas os números não indicam favoritismo de Verstappen e Pérez.

Nos últimos cinco anos, a Mercedes marcou 179 pontos por lá contra 127 da Red Bull. Nas últimas cinco corridas, 3 vitórias para a equipe alemã contra 2 da dona da casa. Em 2020, Bottas cravou pole e vitória no GP da Áustria e Hamilton repetiu a dose no GP da Estíria.

Acho que vale, então, atualizar a frase de Horner. Se a Red Bull bater a Mercedes em Zeltweg, aí sim é sinal de pode vencer em qualquer lugar.

Uma curiosidade para essa rodada dupla de provas na Áustria é a decisão da Pirelli de oferecer seleções diferentes de pneus para cada corrida.

Para este fim de semana, as equipes terão à disposição os pneus C2, C3 e C4, como no ano passado. Para a etapa seguinte, os C3, C4 e C5. O cardápio da Pirelli vai do tipo C1, mais duro, ao C5, mais macio.

Essa variação, que já havia acontecido nas duas provas de Silverstone no ano passado, é mais um caso de quebra de paradigma.

A fabricante deveria levar para cada circuito os pneus mais adequados seguindo critérios técnicos. É isso que fez até agora. Ao decidir por opções diferentes para dois GPs na mesma pista, mostra alinhamento com o novo espírito da categoria sob direção da Liberty Media: o olhar para o espetáculo.

Como já escrevi aqui, o "american way" tomou conta da categoria. Os puristas que se adequem: os resultados estão acontecendo, as audiências globais estão crescendo, a nova mentalidade veio para ficar.

A programação do GP da Estíria, oitava etapa do Mundial de F-1, está abaixo, sempre no traço fino do Pilotoons.

programf1 - Pilotoons - Pilotoons
Programação do GP da Estíria
Imagem: Pilotoons