PUBLICIDADE
Topo

Wrestling e UFC: sucesso, dor e um caminho entre as Olimpíadas e o MMA

Daniel Cormier, ex-campeão dos pesados do UFC - Chris Unger/Zuffa LLC
Daniel Cormier, ex-campeão dos pesados do UFC Imagem: Chris Unger/Zuffa LLC
Diogo Silva

Diogo Silva foi campeão mundial universitário, medalhista de ouro dos Jogos Pan-Americanos e participou dos Jogos Olímpicos de Atenas-2004 e Londres-2012 no taekwondo. Hoje, faz parte do grupo de rap Senzala Hi-Tech.

21/08/2020 12h57

No último sábado em Las Vegas, nos Estados Unidos, Daniel Cormier disputou o cinturarão dos pesos pesados contra o americano (com cara e nome de croata) Stipe Miocic. A luta do UFC 252 completou a trilogia entre os dois.

Os duelos começaram em 2018 no UFC 226, com vitória de Cormier. O segundo confronto foi em 2019, no UFC 241, com vitória de Miocic. No último desafio, o tira teima, a vitória e o cinturão ficaram com Stipe Miocic.

Trago o UFC aqui para discutir não o MMA, mas outra modalidade de luta: o wrestling, aqui foi conhecido como luta olímpica, mas que está em processo de atualização da nomenclatura. O wrestling está entre as modalidades esportivas de luta com maior representatividade entre os atletas olímpicos que migraram para o MMA. E Cormier foi um dos mais populares nesse grupo.

Antoine Jaoude no Pan de 2003, em Santo Domingo, contra o norte-americano Daniel Cormier - Washington Alves/COB - Washington Alves/COB
Antoine Jaoude no Pan de 2003, em Santo Domingo, contra o norte-americano Daniel Cormier
Imagem: Washington Alves/COB

DC, como é conhecido nos EUA, foi campeão dos Jogos Pan-Americanos de 2003, na República Dominicana, fazendo a final contra o brasileiro Antoine Jaude. Foi, também, semifinalista dos Jogos Olímpicos de Atenas em 2004 -ficou em quarto lugar, perdendo a disputa do bronze. Estava, ainda, na equipe dos EUA dos Jogos Olímpicos de Pequim em 2008. Por conta de uma disfunção renal por corte de peso, não pode lutar na China, mas foi o capitão do time. Sua estreia no UFC foi em 2013 e, em 2015, Comier conquistou o cinturão dos pesos meio-pesados.

Para um atleta olímpico, se adaptar nas artes mistas não é nada fácil. O imaginário das pessoas tende a crer que, pelo fato de terem sidos atletas com destaque olímpico, a transição para uma nova modalidade é fácil. Não é.

Lutadores de Wrestling, por exemplo, não treinam socos nem chutes em seus exercícios naturais do dia a dia. Não sabem absorver golpes desferidos no abdômen e no rosto. Podem aprender rápido, mas a transição será dolorosa. Comier não foi o único atleta de sucesso olímpico do wrestling a migrar para o MMA. Antes dele, vieram outros, mas nenhum com tanto sucesso no octógono:

Mark Schultz - Estados Unidos

Campeão olímpico em Los Angeles, 1984. Estreou no UFC 9.

Keviw Jaekson - Estados Unidos

Campeão olímpico em Barcelona, 1982. Estreou no UFC 14.

Townsend Saunders - Estados Unidos

Vice-campeão olímpico em Atlanta, 1996. Estreou no UFC 16.

Matt Lindland - Estados Unidos

Vice-campeão olímpico em Sidney, 2000. Estreou nas artes mistas em 2009, disputou o cinturão do UFC 37.

Yoel Romero comemora vitória sobre Luke Rockhold no UFC 221 - Jeff Bottari/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images - Jeff Bottari/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images
Yoel Romero comemora vitória sobre Luke Rockhold no UFC 221
Imagem: Jeff Bottari/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Yoel Romero - Cuba

Vice-campeão olímpico em Sidney, 2000. Estreou nas artes mistas em 2009, disputou o cinturão do UFC 213.

Sara McMann - Estados Unidos

Vice-campeã olímpica em Atenas, 2004. Estreou nas artes mistas em 2011, disputou o cinturão do UFC 170.

Henry Cejudo com a medalha de ouro olímpica em 2008 - Jed Jacobsohn/Getty Images - Jed Jacobsohn/Getty Images
Henry Cejudo com a medalha de ouro olímpica em 2008
Imagem: Jed Jacobsohn/Getty Images

Dentro desse seleto grupo que conseguiu sucesso nas modalidades olímpicas e também nas artes mistas, o mais jovem é Henry Cejudo — que se aposentou neste ano aos 33 anos. Também dos EUA, ele foi campeão olímpico em Pequim, 2008. Estreou nas artes mistas em 2014 e disputou o cinturão do UFC 197 - chegou a ser campeão dos moscas e dos galos do UFC ao mesmo tempo.

Após a luta contra Miocic, DC anunciou sua aposentadoria. Com 41 anos, acumulou um cartel de 22 vitorias e apenas quatro derrotas. Duas no meio pesado contra o grande fenômeno Jon Jones. E duas no peso pesado, contra Stipe Miocic.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.