PUBLICIDADE
Topo

Vírus do racismo é pior que covid-19, diz Abul-Jabbar sobre caso Floyd

Kareem Abdul-Jabaar fala durante a exibição do programa "Salvando nossos egos", em 22 de abril de 2020.  - BET2020/Getty Images for BET NETWORKS
Kareem Abdul-Jabaar fala durante a exibição do programa "Salvando nossos egos", em 22 de abril de 2020. Imagem: BET2020/Getty Images for BET NETWORKS

Do UOL, em São Paulo

01/06/2020 11h19Atualizada em 01/06/2020 12h07

O ex-astro da NBA (liga americana de basquete) Kareem Abdul-Jabbar disse que o "vírus do racismo" nos Estados Unidos é pior que o novo coronavírus. Ele falou sobre a morte de George Floyd e mostrou formas diferentes de analisar o caso conforme a cor da pele.

O ex-jogador escreveu uma coluna de opinião sobre o assunto no último sábado para o jornal americano Los Angeles Times.

Ele disse que "o racismo na América é como poeira no ar. Parece invisível - mesmo se você estiver sufocando - até deixar o sol entrar. Então você vê que está em toda parte. Enquanto continuarmos mantendo essa luz, temos a chance de limpar a poeira onde quer que ela caia. Mas temos que permanecer vigilantes, porque está sempre no ar".

Kareem perguntou no texto qual foi a reação do leitor ao ver o vídeo do momento em que Floyd é sufocado por um policial branco.

"Se você é branco, provavelmente murmurou um horrorizado: 'Oh, meu Deus', balançando a cabeça diante da cruel injustiça", escreveu ele. E continuou: "se você é negro, provavelmente se levantou, xingou, talvez tenha jogado alguma coisa (certamente quis jogar alguma coisa)".

Ele diz que "você começa a se perguntar se deveriam ser os negros a usar câmeras no corpo, não os policiais".

Coronavírus

O ex-atleta também falou sobre a crise do novo coronavírus. "O que você enxerga quando vê manifestantes negros revoltados reunidos do lado de fora das delegacias de polícia com os punhos erguidos?" questionou ele.

"Se você é branco, pode estar pensando: 'Eles certamente não estão cumprindo o distanciamento social'", respondeu.

"A covid-19 tem afetado a todos, pois morremos a uma taxa significativamente mais alta do que os brancos, somos os primeiros a perder o emprego e assistimos impotentes enquanto os republicanos tentam impedir-nos de votar", protestou Kareem.

Abdul-Jabbar também fez um reflexão sobre a situação da população negra nos Estados Unidos:

"Talvez a principal preocupação da comunidade negra no momento não seja se os manifestantes estão a um ou dois metros de distância, ou se algumas almas desesperadas roubam algumas camisetas ou até atearam fogo em uma delegacia, mas se seus filhos, maridos, irmãos e pais serão assassinados por policiais ou por aspirantes a policial apenas por passear, correr, dirigir. Ou se ser negro significa abrigar-se em casa pelo resto da vida, porque o vírus do racismo que infecta o país é mais mortal que a covid-19.

Basquete