PUBLICIDADE
Topo

Basquete

LeBron rebate apresentadora que o mandou calar boca: "Sou mais que atleta"

LeBron James é um dos destaques do All Star Wekeend (Final de Semana das Estrelas) da NBA - Kirby Lee-USA TODAY
LeBron James é um dos destaques do All Star Wekeend (Final de Semana das Estrelas) da NBA Imagem: Kirby Lee-USA TODAY

Do UOL, em São Paulo

18/02/2018 15h12

LeBron James, o principal jogador da liga de basquete americana deu uma resposta dura a uma apresentadora da Fox News, que na sexta-feira havia mandado ao vivo na TV ele “calar e boca e driblar”.

Laura Ingraham, comentarista política de viés conservador, havia se dirigido a LeBron ao falar sobre uma entrevista em que ele fazia críticas ao presidente Donald Trump, acusando-o de não “dar a mínima para as pessoas.”

“Isso é o que acontece quando alguém sai do Ensino Médio um ano antes para jogar na NBA”, disse a comentarista da Fox. “Somos obrigados a ouvir comentários políticos de alguém que ganha R$ 100 milhões de dólares por ano para arremessar uma bola. São ótimos atletas, mas guardem suas visõe políticas para vocês. Como alguém já disse antes, calem a boca e driblem.”

O jogador do Cleveland Cavaliers foi então ao Instagram e postou uma imagem com a frase “Eu sou mais que um atleta”, acompanhada da hashtag #nósnãovamosnoscalaredriblar.

#wewillnotshutupanddribble

Uma publicação compartilhada por LeBron James (@kingjames)

em

Ao abrir sua entrevista coletiva no jogo das estrelas da NBA, LeBron disse, mesmo sem ser questionado, que gostaria de responder ao comentário de Ingraham.

“Eu li as matérias, mas não vi os vídeos então não sei exatamente como isso foi posto. Mas antes de tudo, eu não tenho ideia de quem ela é e o que ela faz. Ela ganhou nesse caso porque agora eu sei quem ela é”, disse o jogador, que ultimamente vem criticando as políticas raciais e sociais dos Estados Unidos. “Eu venho falando essas coisas há alguns anos e pelo menos agora sabemos que são coisas corretas, a julgar pela reação dela. Nós definitivamente não vamos calar a boca e driblar. Eu significo muito para sociedade, pra juventude, para tantas crianças que acham que elas não têm uma saída. Eles precisam de alguém para liderá-los e tirá-los da situação em que estão.”

LeBron também rebateu a acusação de Ingraham de que ele não teria terminado o Ensino Médio. “Eu gostaria que ela fizesse um pouco mais de checagem dos fatos, porque eu terminei o Ensino Médio. Ser um garoto afro-americano e crescer em um subúrbio, filho de mãe solteira, não ser financeiramente estável e conseguir chegar até aqui hoje, eu acho que superei as expectativas. E quero que os jovens saibam que eles podem fazer isso também. É por isso que não vou me calar e driblar.”

Outros jogadores também repercutiram o comentário da apresentadora da Fox. “Temos que falar o que pensamos porque tem muita coisa ruim acontecendo”, disse Kevin Durant.

LeBron também questiona acesso a armas nos EUA

O jogador também se manifestou a respeito do massacre na escola Marjory Stoneman Douglas, no Estado da Flórida, na última quarta-feira, em mais um episódio envolvendo jovens e armas nos Estados Unidos – 17 pessoas foram mortas.

"Nós temos uma criança que não pode comprar legalmente uma cerveja num bar, mas pode comprar um (rifle) AR-15? Isso não faz sentido. Como é possível que menores comprem armas?", afirmou LeBron, em reação ao episódio da última quarta (nos EUA, somente maiores de 21 anos podem comprar bebidas alcóolicas).

O massacre na cidade de Parkland, na região de Miami, voltou a esquentar o debate sobre compra e posse de armas nos Estados Unidos. O jovem Nikolas Cruz, de 19 anos, é apontado como o responsável pela invasão da escola e disparos contra alunos e professores. O rapaz foi detido pela polícia local e está sob custódia.

Neste domingo, LeBron participa do tradicional Jogo das Estrelas da NBA, marcado para o ginásio Staples Center, em Los Angeles. Um time capitaneado por James vai enfrentar uma equipe escalada por Stephen Curry, astro do Golden State Warriors.

Basquete