PUBLICIDADE
Topo

Basquete

Oscar diz que teria vergonha de Brasil ser convidado a Mundial de basquete

Guilherme Costa

Do UOL, em São Paulo

05/11/2013 06h00

A Fiba (Federação Internacional de Basquete) vai convidar quatro seleções para a disputa do Mundial de basquete masculino do próximo ano, que será realizado na Espanha. O Brasil, que não conseguiu vaga via Copa América, já entregou um pedido para ficar com uma das vagas. Se depender da torcida do ex-jogador Oscar Schmidt, porém, o país não será um dos selecionados.

“Eu espero que não aconteça porque eu vou ser o primeiro crítico desse convite. Você não se classifica no campo e vai para um campeonato porque pagaram? Eu teria vergonha de jogar na seleção se fosse um campeonato em que é só pagar para jogar”, disse o ex-jogador na última segunda-feira, em evento realizado em São Paulo.

Os países interessados em concorrer aos convites precisaram pagar uma taxa de 500 mil euros (aproximadamente R$ 1,5 milhão). O Brasil disputou todas as 16 edições do Mundial até aqui e tem 14 rivais por uma vaga em 2014.

A Fiba vai anunciar os selecionados no início de fevereiro, após reunião que será realizada em Barcelona (Espanha). O sorteio das chaves do Mundial acontecerá no dia 3 desse mês.

Além do pagamento da taxa, há critérios como a história, a experiência como sede em competições Fiba e a presença da força máxima. É justamente esse quesito que desperta maior ira de Oscar.

“O que eles precisam entender é que eles podem ganhar os títulos que quiserem pelos clubes, mas só serão lembrados se tiverem uma história com a seleção brasileira. Senão, todos vão esquecê-los”, teorizou Oscar.

As projeções do ex-jogador dão sequência a uma polêmica iniciada no mês passado. O jogador brasileiro Nenê, que defende o Washington Wizards na NBA (liga profissional de basquete dos Estados Unidos), foi vaiado durante partida de pré-temporada contra o Chicago Bulls, no Rio de Janeiro.

Oscar endossou os apupos e criticou o jogador por ter feito seguidos pedidos de dispensa da seleção brasileira. Na Copa América, todos os atletas que estão na NBA deixaram de se apresentar ao time nacional.

“Todo mundo tem problemas, mas é ok ter problemas de vez em quando. Agora, se for toda hora fica muito chato. O Nenê vir jogar pela seleção brasileira é raríssimo. É uma afronta à minha inteligência: o cara deixou de defender a seleção brasileira em uma classificação para o Mundial porque estava machucado, mas no mês seguinte estava no Brasil para uma partida de pré-temporada. E depois não quer ser vaiado. Tem de vaiá-lo, sim. E muito!”, disse Oscar.

Basquete