Topo

Basquete


Splitter se consolida na NBA e busca 'honra' de ser 1º brasileiro campeão

Tiago Splitter ganhou a confiança do técnico Gregg Popovich e se firmou como titular dos Spurs - REUTERS/Mike Stone
Tiago Splitter ganhou a confiança do técnico Gregg Popovich e se firmou como titular dos Spurs Imagem: REUTERS/Mike Stone

Daniel Neves

Do UOL, em São Paulo

06/06/2013 06h00

A temporada 2012-13 marcou a virada de Tiago Splitter na NBA. Um ano antes, o pivô encerrava sua participação nos playoffs constrangido por uma espalhafatosa bronca do técnico Gregg Popovich diante das câmeras de TV na eliminação do San Antonio Spurs. Doze meses depois, o jogador se consolidou como titular do time texano e pode se tornar o primeiro brasileiro campeão da liga norte-americana.  A decisão contra o Miami Heat começa nesta quinta, às 22h (horário de Brasília).

“Tem sido um período muito agitado, com grandes acontecimentos. Mas encaro tudo tranquilidade. Estou muito feliz com tudo o que está acontecendo comigo”, disse o pivô, em entrevista ao UOL Esporte.

Selecionado pelos Spurs no draft de 2007, Splitter chegou à NBA três anos depois, com o status de um dos melhores jogadores do basquete europeu. Havia acabado de ser eleito MVP da Liga Espanhola na conquista do título com o Baskonia. Nada disso impressionou na NBA e o pivô amargou duas temporadas de poucas oportunidades em San Antonio.

“A evolução foi lenta, mas consistente. Claro que todo mundo quer chegar e jogar, se adaptar o mais rápido possível. Demorou um pouco, mas agora estou bem, com mais protagonismo tanto no ataque quanto na defesa”, comentou o pivô.

Sob a batuta de Popovich, Splitter precisou descobrir uma nova maneira de jogar basquete. Mudou a mecânica de seu arremesso, melhorou o desempenho nos lances livres, ficou mais ágil. Tudo isso durante um longo período no banco de reservas e debaixo de severas críticas da imprensa norte-americana.

"O Popovich é uma espécie de avô de todo o time. É um cara que exige muito dentro de quadra, mas fora é um amigo, está sempre querendo o melhor para todos", afirmou Splitter. "Broncas existem em qualquer lugar. Aquela [nos playoffs de 2012] não foi a primeira e com certeza não será a última".

A adaptação a San Antonio veio com o auxílio de dois astros dos Spurs. Fora de quadra, o argentino Manu Ginobili ajudou o amigo brasileiro a superar os momentos mais complicados. Nas quatro linhas, as dicas diárias de Tim Duncan,  um dos maiores pivôs da história da NBA, contribuíram para a evolução do jogo do brasileiro.

FÁBIO BALASSIANO OPINA SOBRE SPLITTER

  • O mundo agora sabe que o melhor pivô da Europa de anos atrás conseguiu, sim, fazer a 'migração' para a NBA. Teve paciência, ganhou a confiança de Pop e agora é referência em um timaço de bola. Leia mais

“O Manu foi o cara que me recebeu de portas abertas, tanto dentro quanto fora de quadra. Me deu dicas até sobre onde morar”, contou o pivô. “O Duncan me ajuda diariamente com meu jogo, até treinamos juntos nas férias. É um exemplo de dedicação, um cara que já conquistou tudo e continua com enorme gana de vencer. Me espelho muito nele”.

Esta é a segunda vez que um brasileiro tem a chance de sagrar-se campeão da NBA. Em 2007, Anderson Varejão disputou a decisão da liga pelo Cleveland Cavaliers, que não conseguiu uma vitória sequer e acabou ‘varrido’ justamente pelo San Antonio Spurs.

“Seria uma honra ser o primeiro brasileiro campeão da NBA, mas não deixo que isso me influencie e não penso nisso dentro de quadra. Só penso em fazer as coisas certas para ganhar o jogo”, disse Splitter.

Para conquistar o título que nenhum brasileiro conseguiu até hoje, Splitter terá pela frente o Miami Heat, atual campeão da NBA e que chega a sua terceira final consecutiva. Do outro lado da quadra estará LeBron James, considerado o melhor jogador em atividade na liga norte-americana.

“Não existe uma pessoa no nosso time que possa pará-lo [LeBron]. A única forma é adotar uma defesa forte no coletivo. Só assim conseguiremos enfrentar os astros do time deles. O Miami é um grande time, o atual campeão. Será muito complicado”, afirmou o brasileiro. “Vamos continuar fazendo nosso jogo. Todos os times têm brechas e vamos aproveitar tudo o que está à nossa disposição”.