PUBLICIDADE
Topo

A pesquisa Datafolha foi boa para quem? Colunistas do UOL analisam

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (PL) - Eduardo Anizelli/Folhapress e Alan Santos/PR
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (PL) Imagem: Eduardo Anizelli/Folhapress e Alan Santos/PR

Do UOL, no Rio

24/06/2022 14h35

Nova pesquisa Datafolha mostrou nesta quinta-feira (23) um cenário estável na corrida eleitoral. Luiz Inácio Lula da Silva (PT) marca 47% das intenções de voto no primeiro turno —19 pontos à frente de Jair Bolsonaro (PL) (28%).

Colunistas do UOL analisaram o novo levantamento, que também mostrou que, se as eleições fossem hoje, Lula venceria no 1º turno —o petista soma 53% dos votos válidos.

Ciro Gomes (PDT) surge com 8%, e dez outros pré-candidatos estão tecnicamente empatados, marcando até 2%.

O Datafolha ouviu 2.556 eleitores em 181 cidades nos dias 22 e 23 deste mês. A margem de erro é de dois pontos para mais ou menos.

O cenário registrado é semelhante ao da pesquisa passada, feita em 25 e 26 de maio.

Os pesquisadores do Datafolha foram a campo no mesmo dia em que emergiu a notícia de que o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro havia sido preso, na última quarta-feira (22).

Veja a seguir o que dizem os colunistas do UOL:

A pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta evidencia, uma vez mais, a estabilidade do quadro eleitoral, mas também demonstra a ameaça de um buraco civilizatório. (...) Os pesquisadores do Datafolha foram a campo na quarta e quinta, em meio às turbulências geradas pela prisão preventiva, depois revogada, de Milton Ribeiro, ex-ministro da Educação e dos pastores lobistas, que pertencem ao círculo de Bolsonaro. Um esteve 35 vezes do Palácio do Planalto; o outro, dez. Aqui e ali ouvi que isso tudo poderia criar dificuldades adicionais ao presidente nas urnas. Discordei, como sabem as pessoas com as quais conversei. A adesão a Bolsonaro não sofreu abalo nenhum e pode até ter melhorado discretamente. A realidade deixou de ter importância para os fanáticos."
Reinaldo Azevedo

Leia mais na coluna de Reinaldo Azevedo


Apesar de frustrar alguns prognósticos de que Luiz Inácio Lula da Silva iria aumentar a distância para Jair Bolsonaro, a pesquisa Datafolha dá ao pré-candidato petista bons motivos para comemorar. A gigantesca dianteira se mantém (passou de 21 pontos para 19, dentro da margem de erro) e os números confirmam que a possibilidade de vitória em primeiro turno não foi um espasmo, mas uma tendência real. Bolsonaro continua distante do objetivo da reeleição, mas deveria levantar as mãos para o céu porque o assassinato de Bruno Pereira e Dom Phillips, que teve tanto destaque no noticiário, não causou reflexos negativos na pesquisa. Quanto a Ciro Gomes e Simone Tebet, o resultado é desolador: os dois estão onde sempre estiveram."
Chico Alves

Veja reportagens e outras análises na coluna de Chico Alves

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quinta que ainda coloca a mão no fogo por seu ex-ministro da Educação Milton Ribeiro. 'Eu falei lá atrás que botava a cara no fogo por ele, né. Eu exagerei, mas eu boto a mão no fogo pelo Milton, tá?', afirmou. Os eleitores, no entanto, já desistiram de colocar a mão no fogo pelo presidente da República. A cara, nem pensar! Segundo a pesquisa do Datafolha divulgada no mesmo dia pela Folha de S.Paulo, 53% das pessoas entrevistadas disseram nunca confiar nas falas do presidente. Na última pesquisa, 56% ainda acreditavam."
Tales Faria

Leia a coluna completa de Tales Faria

Lula venceria no primeiro turno, segundo pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta, com 53% dos votos válidos, muito graças às famílias com renda de até dois salários mínimos. Não à toa, o governo Bolsonaro esteja tentando um aumento temporário de 50% no Auxílio Brasil, de R$ 400 para R$ 600, para durar até o final do ano. Assim, ele teria uma boia em que se agarrar em meio à inflação alta e à fome. (...) Apesar de Bolsonaro ter recuperado terreno entre os mais ricos, os sulistas e os homens, os mais pobres continuam sendo a fortaleza de votos para Lula devido à memória da bonança econômica em seu governo."
Leonardo Sakamoto

Leia a íntegra da coluna de Leonardo Sakamoto

A nova pesquisa Datafolha mostra que o principal desafio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é evitar uma sangria de votos que evite a sua vitória em primeiro turno. A pesquisa feita ontem e hoje repete basicamente os resultados da realizada no fim de maio. Ou seja, Lula parece ter atingido o seu teto de votos. Tinha 48% no fim de maio. Oscilou um ponto negativamente agora e tem 47%. (...) A boa notícia para Lula é que ele venceria a eleição no primeiro turno se o pleito fosse hoje. Mas acontece que não é."
Kennedy Alencar

Leia a análise completa de Kennedy Alencar


A nova pesquisa apresenta um cenário de estabilidade em relação à sondagem feita no mês passado.(...) Embora esteja distante da reeleição, Bolsonaro exibe uma resistência notável, que lhe permite cultivar a perspectiva de levar a disputa para um segundo turno. É nisso que apostam o presidente e seus operadores ao transformar o Tesouro Nacional num puxadinho do comitê de campanha. Entre os eleitores que ganham até dois salários mínimos, que respondem por 52% dos votos, Lula prevalece sobre Bolsonaro por 56% a 22% --diferença de 34 pontos. Esse pedaço majoritário do eleitorado, que define os rumos da eleição é o que mais sofre os efeitos da inflação. É para esse público que Bolsonaro exibe suas 'barbaridades' e 'cambalhotas'."
Josias de Souza

Leia a íntegra da coluna de Josias de Souza