Você sabe por que colocamos ovos para Santa Clara quando pedimos tempo bom?

Evocada popularmente para acalmar a chuva e o tempo ruim em troca da oferenda de alguns ovos, e lembrada como a padroeira da televisão, poucos sabem que Santa Clara teve um importante papel na história das mulheres dentro da Igreja Católica.

Foi ela quem criou a primeira ordem de mulheres religiosas fora da clausura, a Ordem das Clarissas. A seguidora de Francisco de Assis viveu de 1194 e 1253 e seu dia é celebrado em 11 de agosto, data de seu falecimento.

Além de fundar o ramo feminino da ordem franciscana, ela ainda escreveu a "forma de vida" que nortearia o cotidiano dessas mulheres.

A iniciativa foi inédita, sendo a primeira regra escrita por uma mulher aceita e aprovada pela Igreja em 1253, dois dias antes de sua morte.

"Ela inaugurou um novo tempo na Igreja Católica. Antes, havia mulheres que eram monjas de clausura. Mas a ordem de Santa Clara é a primeira que vai ter freiras", observa a teóloga e especialista em cultura religiosa Ana Beatriz Dias Pinto.

Mais de 1500 mosteiros

De acordo com a professora do curso de Teologia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), Santa Clara, nascida Chiara d'Offreducci, em Assis, na Itália, buscou uma ruptura com o pensamento medieval da época.

"Ela queria viver em sintonia com as pessoas, mostrou o papel da mulher como alguém que também pode ser protagonista na religião, não só espectadora, e fundamentalmente a universalidade da Igreja Católica", diz a professora.

Hoje, conforme a especialista, existem mais de 1.500 mosteiros da ordem de Santa Clara nos cinco continentes, com religiosas vivendo tanto nessas casas, quanto trabalhando em espaços como escolas e hospitais.

Continua após a publicidade
Santa Clara era seguidora de Francisco de Assis e criou o ramo feminino da ordem franciscana
Santa Clara era seguidora de Francisco de Assis e criou o ramo feminino da ordem franciscana Imagem: Wikimedia Commons

Vida franciscana

Santa Clara teve uma trajetória parecida com a de Francisco de Assis. Ela também deixou uma vida de riquezas materiais para trás e enfrentou a resistência da família para seguir o ideal religioso por meio de uma vida de cuidado aos pobres.

"Naquele tempo, geralmente as famílias eram muito numerosas. Nesse aspecto, ter um filho homem que fosse padre era uma posição de prestígio, era uma possibilidade de ascensão entrar no Clero. Já uma mulher se tornar uma mulher de clausura era raro na nobreza", diz Ana Beatriz.

Apesar de a jovem já demonstrar um comportamento recolhido e religioso desde cedo, a decisão de seguir esse caminho surgiu após Clara assistir, aos 18 anos, a uma pregação de Francisco. Pouco tempo depois, ela já havia distribuído aos pobres o dote e o enxoval que tinha. Também cortou os cabelos, como símbolo de consagração àquela nova vida.

Tendo Francisco como mestre espiritual, ela se estabeleceu, em definitivo, no Santuário de São Damião. "Santa Clara passou, então, a cativar outras jovens, a ponto da irmã mais jovem também se juntar a ela", acrescenta a teóloga.

Continua após a publicidade

Seus milagres

Imagem
Imagem: Wikimedia Commons

Santa Clara foi canonizada pelo Papa Alexandre IV em 1255, dois anos após a sua morte. Entre os milagres atribuídos a ela estão a proteção da cidade de Assis durante uma invasão por sarracenos (forma como os cristãos denominavam árabes ou muçulmanos), em 1240. Segurando um ostensório na porta do mosteiro, ela teria impedido que o local fosse saqueado.

A religiosa também é conhecida como padroeira da televisão, mesmo o eletrodoméstico só tendo sido criado séculos depois. "Uma das situações mais curiosas foi que ela queria ir a uma missa na noite de Natal, mas estava doente. Ficou na cama, e quando as pessoas voltaram, ela disse ter assistido a uma projeção na parede do quarto. Descreveu para as freiras tudo o que aconteceu, como se tivesse visto em uma tela de pintura, com imagens em movimento", relata a professora.

Ovos para bom tempo

A história mais famosa envolvendo Santa Clara, no entanto, tem a ver com a meteorologia e se tornou uma tradição muito adotada por noivas que querem se casar em um dia ensolarado e oferecem ovos para a santa, em troco de bom tempo.

Continua após a publicidade

Conta-se que moradores de uma cidade vizinha a Assis se refugiaram no convento de Santa Clara durante uma enchente. Quando saíram de casa, só conseguiram carregar pequenos animais, como galinhas. Santa Clara, diante da situação, rezou para que a tempestade cessasse e as pessoas pudessem voltar para suas casas. Na hora de ir embora, o grupo não tinha como pagar pela hospitalidade, então deixou, como agradecimento, uma cesta com ovos para as freiras.

"Criou-se, então, uma tradição de que, quando não se quer chuva, se oferece ovos para Santa Clara. Até o Papa Francisco, quando veio ao Brasil durante a Jornada Mundial da Juventude, pediu que uma cesta de ovos fosse oferecida a ela. Mesmo com previsão de chuva, o tempo ficou bom. Até hoje ninguém consegue explicar o que aconteceu", recorda Ana Beatriz.

*

Um fazendeiro excêntrico cria um safári africano, uma cidade famosa por seus caixões? Em "OESTE", nova série em vídeos do UOL, você descobre estas e outras histórias inacreditáveis que transformam o Centro-Oeste brasileiro. Assista:

Embed UOL

Siga Ecoa nas redes sociais e conheça mais histórias que inspiram e transformam o mundo
https://www.instagram.com/ecoa_uol/
https://twitter.com/ecoa_uol

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes