PUBLICIDADE
Topo

Primeira Infância

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

A encosta que virou jardim para as crianças

Divulgação
Imagem: Divulgação

21/01/2022 06h00

Entre pés de tamarindo, araticum e amora, crianças pulam em uma amarelinha pintada no chão, enquanto outras brincam com animais feitos de pneus coloridos e um pequeno grupo planta mudas de mastruz e outras espécies nativas da região. Saguis também podem ser vistos pulando entre as árvores do jardim.

Essa cena faz parte do cotidiano de Fabiana Feitosa de Almeida, criadora do Pomar da Encosta. A área verde é cultivada e ornamentada com frutas, plantas de uso medicinal e muitos brinquedos reciclados, ocupando um espaço público do bairro do Seminário, em Crato, na região do Cariri cearense.

"Quando comecei o jardim não imaginava que as crianças iam se interessar tanto, era um projeto de preservação ambiental. Mas as professoras começaram a trazer seus alunos para conhecer mais sobre o meio ambiente, a importância de cuidar da natureza e fazer reciclagem", conta.

A pedagoga de 55 anos é especializada em educação infantil e inclusiva, mas nas horas vagas recebe crianças do bairro e alunos de escolas próximas para oficinas com materiais reciclados e atividades de plantio. Mais do que um jardim de frutíferas, o Pomar oferece uma experiência multissensorial na natureza, onde as crianças aprendem brincando.

Com etiquetas indicando nas árvores as espécies da região, começam a reconhecer as diferentes plantas e a importância da proteção ambiental. Os brinquedos feitos de materiais reciclados e a abundância de verde estimulam a imaginação e a exploração do ambiente de forma livre, oportunidades únicas para aqueles que estão descobrindo o mundo a cada dia.

O projeto foi uma resposta a um problema histórico de má ocupação da área, que já passou por episódios de desabamentos e a formação de um grande buraco que ganhou da população o nome de 'Vulcão'. A referência ao perigo da proximidade com o lixo e o esgoto que se acumulavam nas casas próximas dá uma ideia da sua insalubridade.

Em 2015, uma grande obra de saneamento e urbanização foi realizada na encosta do bairro, mas acabou por desmatar a área e transformá-la em um ponto de despejo para lixo e entulhos. Da inquietação com a situação surgiu, ainda no mesmo ano, a ideia de revitalizar o espaço. Com ajuda de seu colaborador Carlos, Fabiana realizou a limpeza e plantio da área com diversas espécies da flora local. Tudo com as próprias mãos e doações da comunidade.

A área verde na região do Cariri cearense tem frutas, plantas de uso medicinal e brinquedos reciclados - Divulgação - Divulgação
A área verde na região do Cariri cearense tem frutas, plantas de uso medicinal e brinquedos reciclados
Imagem: Divulgação

Com as mudanças, o jardim de frutas e flores começou a atrair a comunidade, especialmente entre aquelas famílias com bebês e crianças pequenas, que sabem tão bem a importância de frequentar espaços abertos, verdes e seguros. Os saguis vieram na sequência, curiosos com as sombras e pequenas frutas cultivadas.

Mas foi quando as professoras da escola em que trabalha começaram a levar seus alunos que o projeto ganhou um novo sentido para ela. "Às vezes os pequenos queriam colocar uma muda em um lugar inadequado, mas eu deixava eles plantarem pra depois trocar a mudinha para um lugar melhor. Eles amam brincar na terra!", admite Fabiana.

Com a chegada das crianças surgiu a ideia de incrementar o espaço com brinquedos interativos e sustentáveis e, com a ajuda de tutoriais na internet, a dupla criou balanços, bancos, uma casinha de madeira e diversas reproduções de animais em pneus. A escolha dos materiais visava manter a caracterização do projeto, que não combinava com playgrounds de plástico.

Durante a pandemia, o espaço foi mais frequentado pelas crianças do bairro, aquelas que podiam caminhar até o jardim na companhia de seus cuidadores, evitando os riscos de transmissão do transporte público e a dificuldade de percorrer longas distâncias com perninhas pequenas. Um oásis verde e interativo para as crianças e suas famílias.

Fabiana conta que no início tinha um pouco de receio em divulgar o jardim, mas se surpreendeu com a recepção dos vizinhos. Os elogios se transformaram em reconhecimento na cidade, e em 2022 o projeto contará com apoio da Prefeitura de Crato. Com a disponibilização de mudas e material para atividades, o espaço deve alcançar ainda mais crianças, podendo, quem sabe, inspirar novas iniciativas verdes.