Topo

Carros elétricos


Tesla estreia seu "elétrico popular" Model 3 com prejuízo e lojas fechadas

Tesla Model 3 de US$ 35 mil chega após dois anos de espera - Joe White/File Photo/Reuters
Tesla Model 3 de US$ 35 mil chega após dois anos de espera
Imagem: Joe White/File Photo/Reuters

Alexandria Sage

De San Francisco (EUA)

28/02/2019 21h28

A Tesla informou nesta quinta-feira que oferecerá a versão de US$ 35.000 (R$ 130 mil na conversão direta) do sedã Model 3 com prazo de entrega de duas a quatro semanas, mas ao mesmo tempo vai fechar muitas de suas lojas em todo o mundo. São medidas destinadas a aumentar a demanda e reduzir os custos indiretos para o fabricante de veículos elétricos.

O executivo-chefe Elon Musk, em teleconferência, disse que a empresa não terá lucro no primeiro trimestre, mas retornará à lucratividade no segundo, informou a rede "CNBC". Em sua carta aos acionistas do quarto trimestre, a Tesla afirmou que seu "objetivo otimista" era um lucro líquido "muito pequeno" no primeiro trimestre.

As ações da Tesla caíram 3,4% depois de horas. Os investidores têm expressado regularmente preocupações sobre se a Tesla seria capaz de manter as margens de lucro através de redução de custos -- como demissões recentes -- e eficiência, uma vez que reduziu os preços de seu mais novo veículo.

Ainda assim, a queda nos preços pode acabar com a preocupação de alguns analistas de que a demanda pelas versões mais caras do Model 3 estava começando a secar, especialmente depois de um crédito tributário federal ser cortado pela metade este ano.

"A Tesla quer aumentar a demanda", disse Chaim Siegel, da Elazar Advisors. "Houve uma desaceleração nos EUA à medida que os créditos fiscais diminuíram. Eles estão tentando ser proativos".

O anúncio vem quase três anos depois de Musk prometer o carro a preço "popular" para atrair o mercado de massa. A Tesla informou que só agora suas vendas estarão online em todo o mundo e, com isso, poderá fechar algumas lojas.

"Fazer vendas online, combinado com outras eficiências de custos, nos permitirá reduzir os preços de veículos em cerca de 6%, em média, permitindo-nos alcançar o preço de US $ 35.000 mais cedo do que esperávamos", disse a Tesla em seu blog.

A nova estratégia de vendas é uma mudança dramática para a empresa que se orgulha de suas butiques de varejo. Em junho de 2017, Musk se comprometeu a aumentar o número de lojas, dizendo que "mal tocaram na superfície" do que era possível.

A partir do quarto trimestre, a Tesla informou que abriu recentemente 27 novos locais, elevando o total de lojas e centros de serviços para 378. Quinta-feira foi a terceira vez este ano que a Tesla baixou o preço do Model 3, que começou em US$ 42.900.

A nova versão de US$ 35.000 tem velocidade máxima de 210 km por hora e pode ir de zero a 100 km/h em 5,6 segundos, disse a Tesla. Por US$ 2.000 a mais, a Tesla oferece uma versão com um alcance de 386 km.

Um modelo de US$ 35.000 representa uma grande injeção para a Tesla durante um período de grandes desafios para a empresa do Vale do Silício e poderia colocar em suspenso preocupações entre alguns analistas de que a demanda por veículos da Tesla poderia ser limitada em 2019.

Além do Model 3, Tesla está desenvolvendo um novo modelo, o SUV Tesla Model Y para produção em 2020, enquanto começa a construir uma fábrica em Xangai.

"Isso é um divisor de águas", disse Daniel Ives, analista da Wedbush Securities, em entrevista por telefone. "Especialmente neste momento em que eles estão passando por um período tão difícil como o crédito fiscal para veículo elétrico rola nos EUA, isso é exatamente o que o médico receitou", comparou.

Ele alertou, no entanto, que poderia haver "mais obstáculos à frente", com um novo fluxo de compradores potencialmente exacerbando problemas anteriores com entregas e serviços aos clientes.

Alguns analistas questionaram como uma versão de US$ 35.000 do carro poderia afetar as margens brutas, que estavam acima de 20% no quarto trimestre. Oferecer o carro e, ao mesmo tempo, reduzir os custos gerais, poderia aliviar as preocupações.

Musk disse no mês passado que o serviço e a qualidade eram duas das principais prioridades da empresa. Muitos clientes reclamaram em mídias sociais e fóruns online de longas esperas por peças e reparos em seus veículos.

Como parte dos esforços de redução de custos, a Tesla no mês passado reduziu seu quadro de funcionários em tempo integral em 7%, após um corte similar de 9% em sua força de trabalho em junho de 2018.

Esperando por anos

A Tesla surpreendeu o mundo automotivo depois que sua lista de reservas para o modelo prometido de US$ 35.000 subiu para meio milhão de pedidos em 2017. A Tesla não divulga mais o número de reservas, mas muitos analistas acreditam que os que estão na lista ainda estão esperando por essa versão mais barata.

A notícia chega três dias depois de novas tensões entre Musk e a Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos. A agência fez uma petição a um juiz nesta semana para que o CEO da Tesla seja detido por desacato a um acordo de outubro entre as partes. A SEC acusa Musk de ter feito declarações materiais sobre os níveis de produção no Twitter sem primeiro tê-las analisadas internamente.

Esse acordo entre Musk, Tesla e a SEC dizia respeito à postagem de Musk no Twitter, em agosto, no qual ele afirmava ter "financiamento garantido" para tornar a Tesla privada por US$ 420 por ação. Como parte do acordo, Musk deixou o cargo de presidente e ele e Tesla concordaram em pagar US$ 20 milhões cada em multas.

Na sexta-feira, a Tesla deve pagar US$ 920 milhões em títulos conversíveis. As emissões convertíveis dão aos detentores de títulos o direito de negociar sua dívida por ações, após as ações subirem acima de um determinado preço. As ações da Tesla estão atualmente em torno de US$ 40 abaixo do preço de conversão de US$ 359,87. A Tesla tinha US $ 3,7 bilhões em caixa e equivalentes de caixa no final de dezembro.

Destrinchando: Veja como são detalhes internos e externos do Tesla Model 3

UOL Carros

Mais Carros elétricos