Topo

Cultura do carro


Sindicato de autoescolas rebate Bolsonaro: "Trânsito não é uma fazenda"

Presidente Jair Bolsonaro defendeu o fim da obrigatoriedade de aulas teórias e práticas para tirar a CNH - Evaristo Sá/AFP
Presidente Jair Bolsonaro defendeu o fim da obrigatoriedade de aulas teórias e práticas para tirar a CNH Imagem: Evaristo Sá/AFP

Do UOL, em São Paulo

27/07/2019 10h06

As declarações do presidente Jair Bolsonaro defendendo o fim das aulas teóricas e práticas para tirar a CNH (Carteira Nacional de Habilitação) não foram bem aceitas pelos profissionais do setor. O Sindautoescola-SP (Sindicato das Auto Moto Escolas e Centro de Formação de Condutores no Estado de São Paulo) emitiu nota condenando a opinião do mandatário.

"Presidente Jair Bolsonaro, o trânsito brasileiro não é uma fazenda", disse o comunicado, assinado pelo presidente da entidade Magnelson Carlos de Souza. "Será essa a solução para reverter os números cada vez mais preocupantes do trânsito brasileiro?"

A nota emitida pelo sindicato ainda cita dados sobre acidentes e mortes no trânsito para defender a necessidade de uma formação específica para poder tirar a carteira de habilitação.

"O que nos causa profunda preocupação e temor é a maneira simplista e inadequada que esse assunto está sendo levado a sociedade brasileira. Neste momento de incertezas, se faz necessário, para o bem do trânsito brasileiro e da sociedade como um todo, que o presidente da República tenha responsabilidade ao tratar de um tema tão importante para o nosso país", conclui a nota.

Em sua transmissão ao vivo semanal nas redes sociais, feita na última quinta-feira, Bolsonaro defendeu o fim das aulas teóricas e práticas para tirar a CNH. Na live, o chefe do governo federal chegou a dizer que "nem devia ter exame para nada".

"Eu, com dez anos de idade, aprendi a dirigir trator na fazenda em Eldorado Paulista [cidade do interior de São Paulo]. E acho que nem devia ter exame de nada. Parte escrita apenas e ir para prática logo. Não tem que cursar autoescola, ter aula de um monte de coisa que já sabe o que vai acontecer. Então, deveria ter uma prova prática e uma prova escrita ali. Seria o suficiente para tirar a carteira de habilitação", opinou Bolsonaro.

Em junho, o Contran (Conselho Nacional de Trânsito) publicou resolução tornando opcional o uso de simulador para tirar a primeira habilitação e também a redução no número de horas-aula obrigatórias para o cidadão tirar a carteira de motorista.

O governo também apresentou recentemente projeto de lei ao Congresso prevendo alterações no CTB (Código de Trânsito Brasileiro) - como a ampliação na pontuação máxima para suspender o direito de dirigir e transformar em advertência por escrito a multa para quem trafegar com criança fora da cadeirinha. Além disso, a proposta também quer acabar com o exame toxicológico para condutores das categorias C, D e E e aumentar a validade da CNH.

O projeto terá de passar pela aprovação dos deputados federais e senadores. Na transmissão ao vivo, Jair Bolsonaro voltou a defender o fim do simulador, o aumento na pontuação e a não obrigatoriedade do teste de drogas, alegando que eles são caros.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.

Mais Cultura do carro