Topo

Testes e lançamentos


McLaren já vendeu R$ 70 milhões em carros no Brasil e descarta SUV

Avaliação: pisamos fundo no acelerador do novo McLaren 600LT

UOL Carros

Alessandro Reis

Do UOL, de São Paulo (SP)

16/02/2019 08h00

Resumo da notícia

  • Representação oficial foi iniciada em maio de 2018
  • Foram 20 unidades vendidas, 16 entregues
  • Só do supercarro Senna, de R$ 8 milhões, foram 4 unidades
  • 660 LT é modelo mais recente

A McLaren Brasil apresentou na sexta-feira o esportivo 600LT, cupê que chega pelo preço inicial de R$ 2,7 milhões e em clima de comemoração. Com menos de um ano de operação oficial no Brasil, iniciada em maio de 2018, a marca britânica de supercarros atingiu a meta de vender 20 veículos no país, dos quais 16 já foram entregues.

Detalhe: há uma única concessionária local, em bairro nobre de São Paulo (SP).

As quatro unidades que faltam chegar aos clientes são do modelo mais especial feito pela fabricante: o Senna, eleito "Destaque do Público do Salão do Automóvel" no Prêmio UOL Carros 2018. Cada unidade do Senna custa em torno de R$ 8 milhões (os valores dependem da configuração escolhida pelo comprador) e apenas 500 unidades serão produzidas e entregues mundialmente.

Além dos quatro Senna, a marca europeia, representada no país pela Eurobike, comercializou quatro 570S Spider pelo preço inicial de R$ 2,2 milhões; quatro 570S Cupê/GT a partir de R$ 1,9 milhão; um 540C por R$ 1,55 milhão; seis 720S começando em R$ 3 milhões. E há, aliás, uma unidade do lançamento 600LT, pelos R$ 2,7 milhões citados acima.

Como os carros são altamente configuráveis, os preços de cada modelo variam bastante. Além disso, a marca não abre os detalhes de cada uma das unidades vendidas. Mas, levando em conta apenas os valores iniciais, a McLaren comercializou em nove meses o equivalente a R$ 70 milhões em automóveis no país, por baixo.

Nada de SUV

Na apresentação do 600LT, Adam Gron, gerente de vendas e relações públicas da McLaren para a América Latina, Oriente Médio e África, deu uma boa notícia aos puristas fãs da marca nascida nas pistas e que deu o tricampeonato de Fórmula 1 ao brasileiro Ayrton Senna: nada de SUVs no horizonte.

Na contramão de marcas como Ferrari, Lamborghini e Maserati, Gron afirmou: "Não há planos de entrar no mercado de SUVs. Em vez disso, estamos completamente comprometidos em projetar e construir carros esportivos com motor central e uso extensivo de fibra de carbono".

600 Long Tail

O 600LT que acaba de chegar ao Brasil tem outras três unidades encomendadas, informa a Eurobike. O cupê é a versão extrema, focada nas pistas, do 570S, o modelo "de entrada" da McLaren, e tem produção limitada a apenas um ano.

Graças ao uso mais intensivo de fibra de carbono, a novidade pesa apenas 1.247 kg a seco e é 100 kg mais leve. Além disso, extrai 600 cv do motor V8 biturbo, ou 30 cv a mais que o 570S, o que permite acelerar de zero a 100 km/h em apenas 2,8 segundos, com máxima de 328 km/h. A traseira é ligeiramente mais comprida (daí a sigla LT, de "Long Tail" ou cauda longa) e traz escapamento mais curto, com ponteira dupla saindo da tampa do compartimento do motor central-traseiro.

UOL Carros já havia testado o 600LT em local especial: a lendária pista de Hungaroring, na Hungria.

Testes e lançamentos