Topo

Testes e lançamentos


#Avaliação: Audi R8, de R$ 1,2 milhão, fica mais fácil de guiar em 2019

Ricardo Ribeiro

Colaboração para o UOL, em Ronda (Espanha)

08/01/2019 07h00

Nova geração do supercarro alemão ganha potência e novo sistema eletrônico para ajudar o piloto

Mostrado durante o Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro último, o novo Audi R8 Coupé chega ao Brasil agora no primeiro semestre de 2019, mas UOL Carros já pilotou a nova geração do superesportivo icônico da marca e adianta as novidades.

Destaque é o investimento em eletrônica para deixar o modelo mais estável e na mão do motorista/piloto.

Por fora, grade mais larga, as entradas de ar e novas saias laterais. Os faróis estão mais finos, com nova assinatura. LED, com a luz alta complementar a laser, como no modelo atual. Na traseira, novas grelhas no para-choque, combinando com o padrão agressivo da dianteira.

No interior, quadro de instrumentos digital, bancos esportivos e bom acabamento, misturando couro, alumínio e fibra de carbono. O desenho da cabine abraça e isola o motorista, que tem todos os elementos voltados para si, criando a sensação de se estar em cockpit de carros de corrida.

Há também um controle de estabilidade mais moderno, que corrige a trajetória sem intervenções muito bruscas.

O desafiador traçado do circuito de Ascari, no sul da Espanha, foi o suficiente para perceber que o R8 devora curvas com equilíbrio e traciona com velocidade sem desgrudar do chão.

Embora continue uma fera visceral, de respostas ríspidas e vibrantes, o esportivo está mais confortável e até mesmo mais amigável de guiar, mesmo para condutores iniciantes.

Além dos modos de condução entre conforto e esportivo, o R8 também estreia configurações pré-definidas para piso seco, molhado e neve.

Motor recalibrado

Já o ganho de potência e torque, outra novidade da linha 2019, não apareceu muito na pista. Ao menos na versão testada, a V10 quattro Perfomance, que passou de 610 cv para 620 cv -- são apenas 10 cv em um modelo que já tinha acelerações e retomadas muito fortes. 

A Perfomance é a opção topo de linha, entrando no lugar da Plus, e a que será vendida no Brasil. A configuração "básica" tem uma diferença mais relevante: subiu 30 cv, de 540 cv para 570 cv. Nas duas, há 2 kgfm extras.

O motor central traseiro continua o V10 5.2 aspirado, mas a cabeça dos cilindros é de titânio e ele recebe mais ar. O sistema de circulação foi otimizado, com novas entradas na dianteira e na traseira, além de dutos e filtros maiores.

O câmbio de dupla embreagem e sete marchas e a tração integral continuam eficientes e bem entrosadas com esse motor. O ronco está mais intenso e vibrante por conta de novas saídas ovaladas do escapamento, que também recebeu melhorias. Segundo a Audi, o R8 2019 vai de 0 a 100 km/h em 3,4 segundos.

Nova eletrônica ajuda a domar o R8 até no molhado, algo que sempre foi um ponto fraco desse tipo de carro - Reprodução
Nova eletrônica ajuda a domar o R8 até no molhado, algo que sempre foi um ponto fraco desse tipo de carro
Imagem: Reprodução

Acelera forte, freia forte

Com toda essa força, também é preciso saber parar. A Audi mexeu na mecânica e na programação: no software, novo tempo de atuação das pinças do freios; no carro, novos discos de carbono-cerâmica, maiores e mais leves.

Com isso, a distância de frenagem caiu 1,5 metro de 100 km/h a 0 e 5 metros de 200 km/h até a imobilidade. 

Além disso, novo sistema de assistência elétrica no modo dinâmico e um acerto mais inteligente da caixa de direção (você precisará mexer menos no volante para mudar a trajetória do R8) deixaram as respostas mais diretas e contribuem para a pilotagem.

A Audi ainda não confirmou o preço oficial. No entanto, é esperado que R8 Coupé 2019 chegue ao Brasil na faixa ou pouca coisa acima do atual, por R$ 1,2 milhão. Já a opção conversível, Spyder, deve ficar só para 2020, ainda com definições a serem tomadas.

* Viagem a convite da Audi

Testes e lançamentos