Topo

Mobilidade


Motorista assistia "The Voice" antes de acidente fatal com carro autônomo

Veículo rodava a 70 km/h antes de atropelar ciclista - Reprodução/ABC
Veículo rodava a 70 km/h antes de atropelar ciclista
Imagem: Reprodução/ABC

Do UOL, em São Paulo (SP)

23/06/2018 08h00

Investigação concluiu que acidente seria "totalmente evitável" se operadora estivesse atenta

A motorista que acompanhava o Volvo XC90 autônomo da Uber estava assistindo o programa "The Voice" no momento do acidente fatal. O SUV estava em testes quando atropelou Elaine Herzberg. A ciclista de 49 anos não resistiu aos ferimentos.

Veja mais

Rivais do Uber colocam 30 "táxis" autônomos em Las Vegas
Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe

Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
Instagram oficial de UOL Carros
Siga UOL Carros no Twitter

Um relatório divulgado pelo Departamento de Polícia de Tempe (no Arizona) indicou que Rafaela Vasquez estava olhando repetidamente para abaixo antes do atropelamento.

Após descobrir que a condutora estava utilizando o serviço de vídeos sob demanda Hulu, os investigadores concluíram que Vasquez assistiu "The Voice" por 42 minutos naquela noite.

A transmissão foi interrompida às 21:59, "coincidindo com a hora aproximada do atropelamento". As investigações indicaram que Rafaela começou a assistir o programa apenas alguns minutos após se sentar no veículo.

A polícia de Tempe afirmou que a motorista pode ser processada por homicídio. Entretanto, a agência de notícias Reuters informou que ainda não foi decidido se Vasquez responderá por algum crime na Justiça norte-americana. A decisão ficará nas mãos dos procuradores do condado de Maricopa, onde fica a cidade de Tempe.

Distração foi crucial

A investigação revelou que a motorista olhou para baixo por 5,3 segundos e só voltou seus olhos para a estrada 0,5 segundo antes do acidente. Naquele momento, o Volvo XC90 estava viajando a aproximadamente 70 km/h.

Contrariando o discurso da própria polícia de Tempe, o relatório concluiu que a batida era "totalmente evitável" se Vasquez estivesse prestando atenção.

A motorista havia alegado que estava "monitorando o programa do sistema de condução autônoma" no momento da batida, mas informações coletadas junto ao próprio Hulu desmentiram sua versão. Rafaela também alegou que não estava utilizando nenhum telefone celular (pessoal ou corporativo) enquanto trabalhava.

Uma porta-voz da Uber afirmou que a empresa proíbe os operadores de veículos autônomos de usar qualquer tipo de dispositivo móvel enquanto estiver acompanhando os testes de condução autônoma.

Mais Mobilidade