Topo

Carros


Carros

Fiquei surpreso ao ver Ghosn vestido com macacão de operário, diz advogado

Jiji Press/AFP
Carlos Ghosn saiu da prisão vestindo um uniforme, máscara e boné Imagem: Jiji Press/AFP

2019-03-07T12:36:53

07/03/2019 12h36

Resumo da notícia

  • Executivo foi libertado depois de pagar uma fiança de quase US$ 9 milhões
  • Uma emissora fez um de seus apresentadores vestir um figurino similar
  • "Fiquei surpreso quando eu o vi na televisão", diz advogado

O ex-presidente da Renault e Nissan Carlos Ghosn, libertado após o pagamento de fiança depois de passar mais de 100 dias preso, está "cansado", afirmou o advogado do empresário, Junichiro Hironaka, à imprensa.

"Ele foi levado em custódia de surpresa em sua chegada ao aeroporto, ficou detido durante mais de 100 dias. Quem não estaria cansado depois disso?", questionou Hironaka.

Ao mesmo tempo, Hironaka disse que não sabe o que levou Ghosn a optar pela roupa que usava no momento da libertação, algo como um macacão de operário.

"Fiquei surpreso quando eu o vi na televisão", afirmou.

Canais de televisão japoneses fizeram piada e afirmaram que o ex-presidente da Renault estava disfarçado.

Uma emissora fez um de seus apresentadores vestir um figurino similar.

Para o ex-promotor Masaru Wakasa, atualmente advogado e político, a roupa escolhida para o momento de saída do centro de detenção pode prejudicar Ghosn.

SOLTURA SURPREENDENTE

Ghosn foi libertado depois de pagar uma fiança de quase nove milhões de dólares, comprometer-se a permanecer no Japão até o julgamento e aceitar um controle judicial rígido, que inclui câmeras de segurança em sua residência e o uso de computadores sem acesso à internet.

"Penso que é bom que o tribunal tenha concordado com a liberdade sob fiança, inclusive sob estas condições, porque me parece injusto manter detido um acusado durante um longo período antes de seu julgamento sob uma modalidade que pode ser chamada de 'justiça refém'", disse Hironaka.

"Espero que agora possamos nos dedicar a uma preparação mais elaborada, mais rigorosa", completou.

POR ORA, SILÊNCIO

Os advogados não descartam a possibilidade de Ghosn oferecer uma entrevista coletiva.

Um eventual encontro com a imprensa é uma questão delicada, pois Ghosn deve evitar que suas declarações influenciem o processo ou acusações de transmitir mensagens cifradas a pessoas envolvidas no caso.

"Somos advogados criminalistas. Nosso único objetivo é que o nosso cliente seja declarado inocente", disse Hironaka.

Mais Carros