PUBLICIDADE
Topo

Infomoto

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Kawasaki promete 16 novidades por ano e moto a hidrogênio até 2025

Kawasaki divulgou uma ilustração do que pode ser a futura Ninja H2 SX movida a hidrogênio - Divulgação
Kawasaki divulgou uma ilustração do que pode ser a futura Ninja H2 SX movida a hidrogênio Imagem: Divulgação
Conteúdo exclusivo para assinantes
Arthur Caldeira

Arthur Caldeira, jornalista e motociclista (necessariamente nessa ordem) fundador da Agência INFOMOTO. Mesmo cansado de ouvir que é "louco", anda de moto todos os dias no caótico trânsito de São Paulo.

Colunista do UOL

14/11/2021 04h00

A Kawasaki anunciou recentemente os planos da marca para o futuro. Estão previstas 16 novas motos por ano até 2025, além de 10 modelos elétricos ou híbridos, incluindo o desenvolvimento de uma motocicleta movida a hidrogênio.

Para atingir essa ambiciosa meta, foi criada uma empresa independente da Kawasaki Heavy Industries. Batizada de Kawasaki Motors Ltda., a nova companhia vai concentrar esforços na produção de veículos de duas rodas, veículos off-road de quatro rodas (side-by-side e quadriciclos), motos aquáticas (jet-ski) e motores em geral, segundo Hiroshi Ito, presidente da recém-formada Kawasaki Motors.

Segundo o executivo, o objetivo da criação da empresa independente do conglomerado industrial japonês é oferecer mais flexibilidade, rapidez e autonomia ao processo de tomada de decisão. Dessa forma, a Kawasaki Motors terá capacidade de reagir mais rapidamente às tendências de mercado e também explorar novas tecnologias.

Com isso, os projetos de um veículo elétrico de duas rodas, uma motocicleta híbrida que combina gasolina e energia elétrica e a primeira versão de um protótipo de motor movido a hidrogênio desenvolvido com base no trem de força do Ninja H2 devem ser acelerados. Até 2035, todos os modelos produzidos pela Kawasaki nos mercados mais desenvolvidos deverão ser elétricos ou híbridos, de acordo com o presidente Ito.

motor a hidrogênio - Divulgação - Divulgação
Protótipo do motor da Ninja H2 alimentado por hidrogênio
Imagem: Divulgação

Apesar de ambicioso, o objetivo da Kawasaki surge por necessidade, pois governos em todo o mundo anunciaram planos para proibir os veículos movidos a combustíveis fósseis em um futuro não muito distante. Não por acaso, a data limite de 2035 coincide com a proibição de motores a combustão na União Europeia, no Canadá e na Califórnia, Estados Unidos.

O fato é que o anúncio faz a fábrica japonesa saltar na frente das concorrentes do setor de duas rodas. Afinal, outros fabricantes podem ter seus próprios planos em andamento, mas por enquanto, a Kawasaki é a primeira a revelar detalhes.

Três novidades ainda em 2021

Pelo menos três das dez motos que a Kawasaki pretende anunciar por ano devem ser mostradas no Salão de Motos de Milão, na Itália, confirmado para acontecer entre os dias 25 e 28 deste mês de novembro.

A fabricante japonesa publicou a imagem de três modelos cobertos ao lado de outros recém-apresentados, como a nova Z 650RS, nos seus sites oficiais nos Estados Unidos e na Europa. Também há o convite para acompanhar os lançamentos online, no dia 23 de novembro, data reservada à imprensa no Salão de Milão.

Ninja elétrica - Divulgação - Divulgação
Kawasaki EV Project foi apresentado no Salão de Milão 2019
Imagem: Divulgação

Um deles aparenta ser uma moto esportiva média que a empresa estrangeira aposta ser uma Ninja ZX-4R, uma versão da radical ZX-25R, moto de apenas 250 cc e quatro cilindros.

Outra já demonstra um porte de moto trail, mais alta, e tudo indica que seja a nova geração da Versys 650. Faz sentido, afinal, entre os modelos médios que usam os motores de dois cilindros e 650 cc, como a Z 650 e a Ninja 650, apenas a Versys não sofreu mudanças nos últimos anos.

Entretanto, a terceira novidade pode ser a mais significativa. Já que os planos da Kawasaki incluem ter toda a sua gama eletrificada ou usando combustíveis alternativos até 2035, há dois protótipos importantes, apresentados recentemente pela marca: uma moto totalmente elétrica, mostrada em Milão em 2019, e outro modelo com um trem de força híbrido.

Embora ambos possam estar presentes de alguma forma no EICMA, especula-se que o híbrido esteja mais perto da produção, pois a Kawasaki já deixou claro que não pretende produzir o "EV Project" (projeto de veículo elétrico, em tradução do inglês). Segundo informações da empresa, o projeto EV, construído sobre a base de uma Ninja 300, destinava-se apenas a testar o uso da propulsão elétrica em uma moto.

Já a moto híbrida, que apareceu em um vídeo há cerca de um ano, em novembro passado, poderia facilitar a transição para motos totalmente elétricas - seguindo os passos da indústria automotiva. Combinando motor a combustão e outro elétrico, que usa energia elétrica abaixo de 50 km/h, a moto híbrida da Kawasaki poderia ser uma solução rápida para cidades que deverão proibir veículos que emitem CO2 em ambientes urbanos.