PUBLICIDADE
Topo

Coisa de Meninos Nada

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Por que comprar um carro com baixa km pode não ser um bom negócio

Conteúdo exclusivo para assinantes
Thais Roland

Thais Roland é técnica em Manutenção Automotiva e apaixonada pela graxa. Com seu canal no YouTube 'Coisa de Meninos Nada', busca informar, orientar e dar suporte em relação a dúvidas e neuras sobre o mundo dos carros

Colunista do UOL

30/11/2021 04h00

Se tem um assunto que gera ansiedade e muitas dúvidas é a compra de um carro seminovo ou usado.

Só lembrando que carro seminovo é aquele que tem menos de dois anos e menos de 20 mil km. Isso costuma gerar uma certa confusão, então é legal esclarecer. Saiu disso, é carro usado.

Já conversei com vocês a respeito de comprar carro com quilometragem alta e disse que não vejo problemas se as manutenções dele foram respeitadas. De outro lado, carros com baixa quilometragem são sempre mais procurados, mas podem não ser um negócio tão bom assim.

Um carro pouco rodado porque faz percursos muito curtos não é um carro bacana para se comprar. Por exemplo: aquele veículo que a pessoa usa só para ir até a padaria, farmácia, mercado, que ficam a poucos quarteirões de casa, e voltar.

Esses percursos pequenos não permitem que o carro esquente o suficiente para que os sistemas atinjam suas temperaturas ideais de trabalho e, até que isso aconteça, o desgaste dos componentes e o consumo de combustível é maior.

Só para dar um exemplo, a bateria sofre muito com esse padrão de uso. Durante a partida ela perde muita carga e é ao longo do caminho que o alternador vai recarregando-a. Se você para antes dela recuperar a carga total e logo vem outra partida, já dá para entender o que vai acontecer, né? Não demorará muito tempo para ela ficar sem vontade de dar outra partida.

Carros um pouco mais velhos e com baixa km, acostumados a percursos curtos, são menos ruins porque é provável que uma revisão mais básica consiga coloca-lo em ordem e você faça um bom negócio.

Aqui, lembrando que algumas manutenções devem ser feitas por km ou por tempo, o que vier antes, como o óleo do motor, por exemplo, que tem que trocar a cada 5 mil km ou a cada seis meses - "ou como especifica o manual do seu carro". Carros nessa situação podem ter negligenciado essas manutenções por causa do pouco uso e por não terem se atentado aos prazos pelo tempo.

Então conhecer o histórico de uso do carro e, como sempre, o de manutenções, fará a diferença na sua decisão de compra tanto de um carro com baixa km quanto de um muito rodado.

De qualquer maneira, levar um mecânico para avaliar o carro com você é sempre importante para minimizar o risco de ter uma surpresa muito desagradável na hora de fazer a revisão depois da compra.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL