PUBLICIDADE
Topo

Rio de Janeiro

Gringos foliões planejam descanso só na Quarta-Feira de Cinzas

As dinamarquesas Anja e Michelle divertem-se no Bloco das Carmelitas nesta sexta-feira - Marcelo de Jesus/UOL
As dinamarquesas Anja e Michelle divertem-se no Bloco das Carmelitas nesta sexta-feira
Imagem: Marcelo de Jesus/UOL

Giselle de Almeida

Do UOL, no Rio

24/02/2017 19h49

Teve gringo caindo no samba sem hora para acabar no Carmelitas, tradicional bloco do Rio, na tarde desta sexta-feira (24). Eles disputavam em animação com os locais --em sua maioria, famílias e jovens estudantes--, que tomaram as ladeiras de Santa Teresa, bairro da zona sul da cidade. "Temos carnaval em Notting Hill, que é uma celebração da cultura caribenha. Mas o daqui é 100 vezes melhor!", afirma a engenheira londrina Katie Sanderson, 24. 

As londrinas Jolie, Olivia, Elisabeth e Katie, que acha o 'carnaval daqui 100 vezes melhor' - Giselle de Almeida/UOL - Giselle de Almeida/UOL
As londrinas Jolie, Olivia, Elisabeth e Katie, que acha o 'carnaval daqui 100 vezes melhor'
Imagem: Giselle de Almeida/UOL

Acompanhada das também inglesas Olivia Miranda, 24, e Jolie Cripps, 23, e da dinamarquesa Elisabeth Rattage, 21, Katie diz que o grupo fica na cidade até a Quarta-Feira de Cinzas e pretende aproveitar os blocos cariocas todos os dias. "Vamos dormir só quando chegarmos à Ilha Grande [na região da Costa Verde, no Rio de Janeiro]. Nós trabalhamos muito, queremos aproveitar ao máximo", explica.

Vestindo uma camisa do Império Serrano, com o rosto pintado e usando um cocar, o francês Pierre brincava sobre sua "fantasia" de índio. "É que minha família é de índios", justificava, entre risos, o estudante, que mora há seis meses em Copacabana e gastava seu português cheio de sotaque na farra com os amigos, também devidamente paramentados.

Ainda mais integradas ao espírito do folião carioca estavam as dinamarquesas Anja Toadahl, 30, e Michelle Roslind, 29, vestidas de Mulher-Maravilha e tomando cerveja. "Vim fantasiada porque ela disse que ia ser mais divertido", conta Michelle, estreando na festa. 

Anja, que já morou em Ouro Preto e no Rio e fala bem português, está na folia pela quinta vez. "Conheci o Carmelitas com os locais, os amigos que fiz aqui. Agora vim com ela. É um bloco que tem boa energia, é animado", diz.

Política de fora

Embora o samba do Carmelitas citasse o "Rio Universal" do prefeito Marcello Crivella (PRB), a falta de pagamento aos servidores estaduais no governo de Luiz Fernando Pezão (PMDB) e a reforma da Previdência anunciada pelo presidente Michel Temer (PMDB), foram bem poucas as referências políticas nas fantasias. Predominaram os clássicos unicórnios, super-heróis, ciganas, diabinhos e, claro, as freirinhas carmelitas.

Uma das que ostentaram o tradicional hábito foi a manauara Katia Nascimento, 42. "Venho todo ano só para o Carnaval. Achei maravilhoso o Carmelitas, está superaprovado", diz ela, que pretende voltar no segundo desfile no bloco, na terça-feira (28).

Já o professor de Educação Física Renan Lavinas, 23, foi fantasiado de flor e levou um cartaz: "Fotografia do Raça Negra ou 500 reais?", em homenagem ao minifã do grupo de pagode que ficou famoso ao participar do "Programa Silvio Santos".

"Está fazendo sucesso. A gente tem que seguir a onda da internet", diz ele, que foi bastante abordado para tirar fotos.

O professor de Educação Física Renan Lavinas, 23, foi fantasiado de flor: "a gente tem que seguir a onda da internet" - Marcelo de Jesus/UOL - Marcelo de Jesus/UOL
Renan Lavinas foi fantasiado de flor ao bloco: 'a gente tem que seguir a onda da internet'
Imagem: Marcelo de Jesus/UOL