PUBLICIDADE
Topo

Rio de Janeiro

Em clima de festa, vizinhas Vila Isabel e Salgueiro empolgam a Sapucaí

Anderson Baltar

Colaboração para o UOL

06/02/2017 09h31

Colada ao centro do Rio de Janeiro, a região da Tijuca é considerada a porta de entrada da zona norte e é conhecida como um local de boa qualidade de vida. Na geografia cultural carioca, a Tijuca e seus bairros adjacentes são conhecidos também por abrigar uma grande quantidade de bons sambistas e escolas icônicas no Carnaval.

Em mais uma noite de ensaios técnicos na Marquês de Sapucaí, o público que superlotou as arquibancadas presenciou uma confraternização de duas das principais escolas da região da Tijuca. Unidos de Vila Isabel e Acadêmicos do Salgueiro -- que durante a semana convocaram seus componentes e torcedores com uma campanha pelas redes sociais -- fizeram bons ensaios e deixaram acesa a esperança de um desfile de qualidade no Carnaval 2017.

Conduzida por um samba que é considerado um dos melhores da temporada por especialistas, a Unidos de Vila Isabel pisou na Sapucaí firme em seu processo de reconstrução. Após o título de 2013, a escola chegou a desfilar com seríssimos problemas de acabamento nas fantasias e quase foi rebaixada no ano seguinte. Com turbulências financeiras e administrativas, chegou a ter a quadra interditada há alguns meses. Porém, os sambistas do bairro de Noel Rosa esqueceram os problemas e deram o seu recado cantando a plenos pulmões e evoluindo com alegria.

5.fev.2017 - Sabrina Salto samba no ensaio técnico da Vila Isabel - Roberto Filho/Brazil News - Roberto Filho/Brazil News
Sabrina Sato samba à frente dos ritmistas da Vila
Imagem: Roberto Filho/Brazil News
Um dos grandes destaques do ensaio foi o intérprete Igor Sorriso, que vai se firmando, ano após ano, como um dos melhores cantores do Carnaval carioca. Com uma empolgada Sabrina Sato à frente de seus ritmistas, a bateria de mestre Wallan conduziu com maestria o ritmo da escola. Estreando como porta-bandeira, a jovem Amanda Poblete empolgou o público dançando com o mestre-sala Raphael Rodrigues, que retorna à escola após ter sido campeão no ano passado pela Mangueira. O senão do ensaio foi a evolução, que em alguns momentos foi irregular, com as alas ficando paradas por mais tempo do que o normal.

Após entrar na avenida como favorita em 2016 e penar com o quarto lugar por problemas em iluminação de seus carros, o Salgueiro adotou o silêncio nos preparativos para o Carnaval 2017. Sem um samba com o mesmo apelo popular do ano passado e com muito segredo em seu barracão, a Vermelha e Branca chegou à Sapucaí saudada por sua torcida apaixonada, que superlotou as arquibancadas e agitou balões e bandeiras. Um imenso tapete vermelho, do tamanho da pista, foi estendido, abrindo os caminhos para a escola.

E, se a intenção era causar surpresa, o Salgueiro foi inteiramente bem-sucedido, fazendo um ensaio empolgado, com evolução contínua e o samba na ponta da língua de seus componentes. A felicidade dos salgueirenses era visível e transbordava no rodopio da ala de baianas lindamente fantasiada, no batuque firme da bateria de Mestre Marcão e no bailar seguro de Sidclei e Marcela Alves, um dos melhores casais de mestre-sala e porta-bandeira do Rio de Janeiro. A comissão de frente trouxe um tripé comemorando os dez anos de trabalho do coreógrafo Hélio Bejani na escola. Seus integrantes vestiam fantasias de desfiles deste período e arrancaram muitos aplausos do público.

A noite foi aberta pela Unidos do Porto da Pedra. A escola de São Gonçalo, ausente do Grupo Especial desde 2012, trouxe muita animação e organização em seu ensaio, mostrando que está pronta para disputar o título da Série A, equivalente ao Grupo de Acesso da folia carioca. A programação dos ensaios técnicos continua no próximo final de semana. No sábado (11), três escolas da Série A fazem seus treinos: Inocentes de Belford Roxo, Renascer de Jacarepaguá e Unidos do Viradouro. No domingo, é dia de Portela e Unidos da Tijuca se apresentarem.