PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Sandy cita variação da temperatura e quadro de sinusite; qual relação?

Em 2020, Sandy revelou que já pensou em interromper a carreira por causa da sinusite crônica - Instagram
Em 2020, Sandy revelou que já pensou em interromper a carreira por causa da sinusite crônica Imagem: Instagram

De VivaBem*, em São Paulo

03/07/2022 15h12

Neste domingo (3), a cantora Sandy usou o Instagram para reclamar sobre uma situação que incomoda muitas pessoas: a sinusite. Ela citou a variação da temperatura em Campinas (SP) e escreveu a seguinte frase na rede social: "Como uma pessoa alérgica faz para sarar da sinusite com uma variação de 18/19ºC por dia?".

Em 2020, Sandy revelou que já pensou em interromper a carreira por causa da condição de sua saúde. "Sou muito alérgica. Choveu, eu estou espirrando [...] Até sofri com isso bastante tempo porque tenho uma sinusite crônica. No fim de 2018, eu sofri tanto que cheguei a me questionar se ia continuar a minha carreira porque me atrapalhava demais. Era pigarro o tempo inteiro", disse ela, no podcast 'Sistema Solari', de Felipe Solari.

A cantora revelou que atualmente o problema está controlado. "Ainda tenho essa condição porque faz parte da minha natureza. É crônico. Mas agora estou muito melhor. Continua me atrapalhando, mas não de um jeito que me faça pensar em parar de cantar", afirmou.

O que é a sinusite e qual relação da sinusite com mudança de tempo?

A sinusite é uma inflamação dos seios da face que costuma afetar muito a qualidade de vida da pessoa. Ela pode ser gerada por bactérias, vírus e também por quadros de rinite. "A inflamação da mucosa nasossinusal inibe o movimento de suas células especializadas e responsáveis por empurrar o muco em direção à garganta", destaca Raul Zanini, otorrinolaringologista do Hospital Albert Einstein.

sandy - Reprodução/Instagram @sandyoficial - Reprodução/Instagram @sandyoficial
Sandy reclamou do tempo nos Stories do Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram @sandyoficial

Por causa disso, a sinusite provoca obstrução do nariz, secreção espessa, gotejamento, dor em pressão (que pode irradiar para os dentes), diminuição do paladar e olfato. Nos bebês, desencadeia dificuldades para mamar e má alimentação.

O quadro pode aparecer em qualquer momento da vida, porém, é mais frequente quando ocorrem mudanças bruscas de temperatura, tempo seco, aumento de fuligem no ar —situações que acontecem principalmente no outono e inverno. O tabagismo ativo e passivo, assim como as partículas no ar devido à poluição, também favorecem a inflamação.

Há, ainda, alterações de anatomia do interior do nariz como desvio do septo nasal, pólipos e o aumento das conchas nasais (que são conhecidas como carnes esponjosas) que aumentam a predisposição da sinusite.

Qual a diferença para a sinusite crônica?

A sinusite crônica tem todos os sintomas —obstrução e secreção nasal, perda de olfato, sensação de pressão ou dor facial, cefaleia, tosse— que duram por, pelo menos, 12 semanas. Aliás, essa é a diferença do problema crônico para o agudo: o tempo de permanência dos sintomas.

Saiba como é o tratamento da sinusite

Ele dependerá da causa e do tipo da sinusite, mas a lavagem nasal diária é medida essencial, considerada de primeira linha junto à terapia com remédios. Quando a sinusite for do tipo alérgica, o médico tem à sua disposição medicamentos antialérgicos nasais e sistêmicos. Já nos casos virais, ele poderá sugerir o uso de anti-inflamatório, soro nasal, fluidificantes, bem como o aumento da ingestão de líquidos e repouso

Na hipótese em que a sinusite é bacteriana, a solução é o antibiótico, associado a alguns dos medicamentos acima descritos. Além disso, quando se trata de sinusite crônica ou fúngica, é comum que o tratamento seja associado a procedimentos cirúrgicos.

O objetivo é melhorar a drenagem dos seios da face, sua limpeza ou permitir a coleta de material para cultura. Caso o paciente não responda ao tratamento clínico, o que é referido pelos médicos como paciente refratário, a intervenção cirúrgica também pode ser útil.

Rinite e bronquite

Apesar de confundir, essas outras duas doenças têm características diferentes. A rinite é uma doença inflamatória no nariz, que leva a sintomas como obstrução nasal, coriza e coceira interna, ela pode ser provocada por diversos fatores.

Quando ocorre na forma alérgica, o contato com poeira, pelos de animais e ácaros aumentam o risco do problema.

Em quadros não alérgicos, pode ocorrer a rinite senil ou vasomotora, que se manifesta devido a uma alteração da saliva. Esta é mais comum em idosos e pode fazer com que as narinas escorram de forma frequente.

Já a bronquite é uma doença inflamatória dos brônquios do pulmão de caráter viral ou bacteriano. É importante não confundir com a asma, que também é uma condição respiratória, mas que provoca sintomas diferentes e é desencadeada por um processo alérgico.

Na bronquite aguda, o paciente apresenta muito catarro, tosse, peito cheio e são as crianças as mais afetadas. Ela também é mais comum quando ocorrem quedas severas de temperaturas.

Quando o quadro é viral, o recomendado são remédios para febre, nebulizações, fisioterapia respiratória e muita ingestão de líquido. "Quando o quadro é bacteriano, o recomendado é antibiótico", afirma Débora Carla Chong, pneumologista pediátrica e professora da Escola de Medicina da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR).

* Com informações de reportagens publicadas em 07/01/2020 e 01/06/2022.

Saúde