PUBLICIDADE

Topo

Como Consegui

Histórias de quem mudou hábitos em busca de mais saúde


'Decidi treinar para ajudar meu irmão a emagrecer e virei fisiculturista'

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Thamires Andrade

Colaboração para VivaBem

03/03/2022 04h00

Diego Carvalho, 28, resolveu treinar para acompanhar na academia o irmão, que estava sofrendo bullying na escola por causa do sobrepeso. O curitibano se apaixonou pela musculação, foi ver um amigo fisiculturista competir e decidiu participar de campeonatos também. A seguir, Diego conta como conseguiu resistir às tentações alimentares e manter a dieta para alcançar seus objetivos:

"Sempre fui aquele magro que comia de tudo e não engordava. Meus pais são obesos e não tinham hábitos alimentares muito saudáveis. Meu irmão começou a ficar acima do peso e passou a sofrer bullying na escola. Então, ele resolveu entrar na academia e fui junto, para incentivá-lo. Eu estava com 19 anos quando comecei a treinar. Não tinha nenhum objetivo específico nem fazia dieta.

Comecei a me interessar sobre treinamento e aprendi que seguir uma boa alimentação é importante para os resultados na musculação. Passei a ter mais cuidado com o cardápio e logo comecei a ver os ganhos surgirem. Tanto que me apaixonei por treinar! Larguei a faculdade de administração e decidir cursar educação física —ainda bem, porque hoje não me imagino o dia todo sentado em um escritório.

Como Consegui Diego - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Na faculdade, conheci um amigo que queria ser fisiculturista. Eu não sabia nem a metade do processo necessário para me tornar atleta, mas fui vê-lo em uma competição e decidi que tentaria, já que ele prometeu me ajudar! Em março de 2018, comecei a minha primeira preparação e não foi nada fácil. Como minha família sempre foi desregrada com a alimentação, via minha mãe fazer bolo, meu pai comer doce e precisei me segurar muito para não sair da dieta!

Isso me fez perceber que ter foco é muito importante para ser atleta, mas também para ter resultados em qualquer área da vida. Antes de iniciar qualquer projeto, é preciso trabalhar a cabeça para encarar tudo que virá pela frente. Falando da alimentação, por exemplo, se você não tiver a mente forte, o tempo todo vai comer algo que não estava planejado no cardápio, pois as 'besteiras' sempre surgem no dia a dia.

Fui firme e consegui me controlar, mesmo vendo todos comerem bolo e lasanha, segui a alimentação para a competição.

Como Consegui Diego - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Logo depois que competi, tive um episódio de compulsão e foi quando vi que não dá para manter uma dieta restritiva por muito tempo. Como não tinha nenhum campeonato em mente, comecei a comer de tudo: dois pratos de comida por refeição, muitos doces etc. Por esse descuido, engordei 12 kg em duas semanas e vi que estava voltando a adquirir péssimos hábitos alimentares. Então, retomei o foco total no esporte.

Já conquistei nove troféus e três medalhas. No fisiculturismo, a gente fala que o atleta não escolhe a categoria em que quer competir, pois cada modalidade exige um tipo físico diferente. Para a que eu participo (a Men´s Physique), é preciso ter cintura fina, costas e ombros largos, um corpo em formato de Y.

Como é a preparação de um fisiculturista

Normalmente, a minha preparação começa seis meses antes da competição. No início, os treinos começam a ficar mais intensos com o foco em ganhar massa muscular. Como meu metabolismo é muito acelerado e meu percentual de gordura está sempre baixo, cerca de três meses antes do campeonato, tenho que aumentar muito o consumo calórico, já que fica difícil desenvolver a musculatura em déficit calórico.

Como Consegui Diego - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Nessa época, chego a consumir cerca de 4.000 calorias por dia. Tem horas que preciso empurrar a comida para dentro mesmo, pois não aguento comer. Ao todo, são seis refeições a cada 3 horas e vou variando as opções. Obviamente, não como qualquer coisa, são alimentos saudáveis e indicados por uma nutricionista.

No almoço e jantar, geralmente consumo arroz, batata inglesa, mandioca, ovo, batata-doce, além de carne vermelha magra (patinho), frango e peixe. Já nos lanches da tarde, costumo ingerir frutas, como mamão e banana, e suplementos, como whey protein e creatina, para me ajudar a ganhar massa.

Como Consegui Diego - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Mesmo nesse período de preparação, que exige foco total, sigo a dieta à risca durante a semana e no sábado ou domingo eu me permito uma refeição livre. Pode ser um hambúrguer, churrasco, pizza. Sair da dieta em uma refeição não vai prejudicar meus resultados, pois a grande maioria do meu cardápio é saudável e não como besteiras sempre. Acredite, a frequência tem um papel importante.

Outra lição importante, que vale para quem compete ou não, é que na reta final não faço musculação todos os dias. Os músculos sofrem microlesões nos exercícios e se recuperam (crescem) no período de descanso. Por isso, treino de segunda a quarta, variando os grupos musculares, descanso na quinta e volto a treinar sexta e sábado, para descansar novamente no domingo.

Tem 10 anos que treino e a musculação mudou a minha vida, impactou até minha carreira. Hoje, sou coach, realizo consultoria de treino online e dou aula de personal trainer. Ter me tornado atleta me abriu várias portas na profissão. Afinal, nada melhor do que mostrar para os seus alunos que os treinos dão resultado se você comer e fazer exercícios de forma correta.

Para alcançarmos nossas metas é preciso focar 100% no objetivo e ter em mente que, no treino e na dieta, tudo o que fazemos (ou deixamos de fazer) reflete diretamente nos resultados.