PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Covid: 86,4 milhões de brasileiros completam vacinação, 40,51% da população

Mais de 86,4 milhões de brasileiros completaram a vacinação contra a covid-19 - JURANIR BADARó/ESTADÃO CONTEÚDO
Mais de 86,4 milhões de brasileiros completaram a vacinação contra a covid-19 Imagem: JURANIR BADARó/ESTADÃO CONTEÚDO

Colaboração para o VivaBem, em São Paulo

25/09/2021 20h00

O Brasil chegou hoje à marca de 86,4 milhões de habitantes com vacinação completa contra a covid-19. No total, 86.408.829 brasileiros receberam a segunda dose ou a dose única de vacina, o que representa 40,51% da população nacional. Os dados foram levantados pelo consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte, com base nas informações fornecidas pelas secretarias estaduais de saúde.

Nas últimas 24 horas, 639.044 brasileiros completaram o esquema vacinal, com a aplicação de 637.339 segundas doses e de 1.705 doses únicas. No mesmo período, 346.329 pessoas tomaram a primeira dose de imunizante e outras 29.278, a de reforço.

Ao todo, 144.374.617 pessoas já foram vacinadas com a primeira dose no Brasil, o equivalente a 67,68% da população do país. Também foram aplicadas 550.898 doses de reforço até o momento.

Na soma de primeiras, segundas, únicas e de reforço, foram aplicadas 1.014.651 doses de vacina contra a covid-19 entre ontem e hoje no país.

Ceará, Minas Gerais, Paraná, Rondônia, Roraima e Tocantins não enviaram dados atualizados sobre a vacinação até o horário de fechamento do boletim do consórcio, às 20h.

Vacinação primeira dose 25/9 - UOL - UOL
Vacinação primeira dose 25/9
Imagem: UOL

O estado com o maior percentual de habitantes com vacinação completa continua sendo o Mato Grosso do Sul: 55,49% da população local. Na sequência, aparecem São Paulo (53,83%), Rio Grande do Sul (46,35%), Espírito Santo (42,63%) e Paraná (40,84%).

Em termos percentuais, São Paulo se mantém na liderança entre aqueles com a maior parcela da população vacinada com a primeira dose: 78,55% de seus habitantes. Rio Grande do Sul (70,35%), Distrito Federal (70,17%), Santa Catarina (69,78%) e Paraná (68,66%) vêm a seguir.

Registros de casos somem, reaparecem e expõem subnotificação no país

No último sábado (18), o Brasil bateu recorde de novos casos de covid-19. Dois dias depois, o país registrou números negativos de diagnósticos. Ao menos 15 estados recentemente relataram instabilidades na inserção de dados no sistema nacional. Mais de um ano após o início da pandemia, o Brasil ainda tem alta subnotificação nos números, em especial de casos leves da doença.

Segundo levantamento do UOL, Acre, Amazonas, Bahia, São Paulo, Rio de Janeiro, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Pernambuco, Paraíba, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina e Tocantins notificaram problemas para lidar com a plataforma e-SUS Notifica, onde são registrados todos os diagnósticos e casos leves de covid-19.

No dia 8 de setembro, o sistema passou por uma atualização, segundo informou o Ministério da Saúde. A pasta não entrou em detalhes sobre quais foram as mudanças e citou apenas a inclusão automática dos dados de vacinação, "permitindo a análise de casos em pessoas já vacinadas", e mais campos relacionados à testagem.

A alteração se deu na chamada API (sigla para Application Programming Interface) que é um padrão de programação que permite a comunicação entre sistemas. Por meio da API, os estados conseguem coletar os dados de casos de covid-19 inseridos pelos municípios e hospitais.

Vacinação dose completa 25/9 - UOL - UOL
Vacinação dose completa 25/9
Imagem: UOL

Veículos se unem pela informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes de autoridades e do próprio presidente durante a pandemia colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que foi informado no título e no primeiro parágrafo, o número de pessoas totalmente imunizadas é de 86.408.829, o que corresponde a 40,51% da população. Da mesma forma, o número de brasileiros parcialmente imunizados é de 144.374.617, o que corresponde a 67,68% da população do país. A informação já foi corrigida.

Saúde