PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Covid: 77,7 milhões de brasileiros completam vacinação, 36,47% da população

Quase 78 milhões de brasileiros já completaram a vacinação contra a covid-19 - Adriano Ishibashi/Framephoto/Estadão Conteúdo
Quase 78 milhões de brasileiros já completaram a vacinação contra a covid-19 Imagem: Adriano Ishibashi/Framephoto/Estadão Conteúdo

Colaboração para o VivaBem, em São Paulo

16/09/2021 20h01

Até o momento, mais de 77,7 milhões de brasileiros completaram o ciclo vacinal contra a covid-19. Ao todo, 77.790.266 pessoas já tomaram a segunda dose ou a dose única de imunizante contra a doença, o que representa 36,47% da população nacional. Os dados são do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte, com base nas informações fornecidas pelas secretarias estaduais de saúde.

Nas últimas 24 horas, foram 1.024.765 pessoas vacinadas com a segunda dose e outras 5.348 com a dose única. No total, 1.030.113 brasileiros concluíram o esquema vacinal neste período, que ainda apresentou 486.219 aplicações de primeira dose e outras 36.669 doses de reforço.

Já são 140.373.340 habitantes do país que já tomaram a primeira dose até agora, o equivalente a 65,8% da população brasileira. Foram aplicadas 233.641 doses de reforço no total.

Entre ontem e hoje, houve a aplicação de 1.553.001 doses de vacina contra a covid-19 em todo o Brasil, na soma de primeiras, segundas, únicas e de reforço.

O estado com a maior parcela de sua população com vacinação completa é Mato Grosso do Sul: 50,96% dos habitantes locais. São Paulo (48,25%), Rio Grande do Sul (42,66%), Espírito Santo (39,14%) e Paraná (36,75%) vêm a seguir

São Paulo se mantém à frente quanto à proporção de habitantes vacinados com a primeira dose: 77,43% de sua população. Logo após, aparecem Rio Grande do Sul (68,67%), Santa Catarina (67,8%), Distrito Federal (67,61%%) e Paraná (66,75%).

Vacinação nos estados primeira dose - UOL - UOL
Vacinação nos estados primeira dose
Imagem: UOL

Saúde diz que não irá vacinar adolescentes até que haja mais evidências

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou hoje que a pasta não irá recomendar a vacinação contra covid-19 em adolescentes sem comorbidades até que haja mais evidências "sólidas".

Ele comparou a situação ao que aconteceu em maio, quando a imunização de grávidas foi suspensa após a morte de uma gestante que havia tomado a primeira dose no Rio de Janeiro. "Em relação a adolescentes, a recomendação é essa. Por favor, sigam a orientação do PNI e não apliquem outros imunizantes além do que está autorizado", afirmou, durante entrevista coletiva.

"[Adolescentes] sem comorbidades, independente da vacina que tomaram, para e não toma a outra [dose]. Por uma questão de cautela, até que se tenha mais evidências para seguir em frente. Os com comorbidades, completam o esquema vacinal", orientou.

Vacinação nos estados dose completa - UOL - UOL
Vacinação nos estados dose completa
Imagem: UOL

Veículos se unem pela informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes de autoridades e do próprio presidente durante a pandemia colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Saúde