PUBLICIDADE

Topo

Gemada é bom mesmo para ganhar músculos e melhorar imunidade?

Priscila Barbosa
Imagem: Priscila Barbosa

Thamires Andrade

Colaboração para VivaBem

15/09/2021 04h00

Quem nunca ouviu falar que a gemada é ótima para o ganho de músculos, além de ser um verdadeiro "remédio natural" para combater gripes e resfriados? De fato, alguns ingredientes da receita tradicional —que tem como base a gema do ovo e o leite— podem contribuir para a imunidade e a hipertrofia, mas a gemada sozinha não faz milagre.

Ou seja, para alcançar esses objetivos, é preciso ter um cardápio diverso e balanceado e não só baseado em um único alimento.

Tanto a gema do ovo quanto o leite contêm proteína, gorduras monoinsaturadas, vitamina A, D e zinco, além de outras vitaminas e minerais. E essa combinação faz com que o alimento forneça energia rápida, saciedade, além de nutrir músculos, tecidos e contribuir com a formação das imunoglobulinas, que atuam contra bactérias e vírus.

A frequência de consumo vai depender do objetivo de cada um, já que é preciso ter em mente que é um alimento rico em calorias. Por exemplo, se uma pessoa deseja aumentar a massa muscular, pode tomar logo após o treino. Agora se o objetivo não for ganhar músculos, ela pode consumir de dia, assim o corpo consegue digerir melhor as gorduras presentes na gema e gastar o açúcar ingerido.

Muito além do ovo...

É importante ressaltar que nenhum alimento se sobressai ao outro. Todos se complementam a fim de se obter eficiência no que se diz respeito ao ganho de massa e imunidade.

Portanto, além do ovo, é preciso avaliar também a quantidade de calorias e proteínas. Para quem está visando à hipertrofia, por exemplo, a indicação é a inclusão de proteína diariamente em todas as refeições.

Não importa se é a proteína vinda do whey, do frango ou do ovo, mas, sim, que ela tenha sido calculada por um nutricionista e distribuída no cardápio ao longo de todo o dia. Fora todos os cuidados com a alimentação, para ganhar massa também é preciso praticar atividade física regularmente com treinos adequados para esse objetivo.

Já no caso da imunidade, também é interessante combinar a gemada com outros alimentos fontes de vitamina C, como limão, laranja, e outros com propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, como alho e gengibre, respectivamente.

Para garantir um sistema imunológico forte é necessário ter uma dieta saudável e balanceada, com consumo de legumes, verduras e frutas para garantir o aporte de diversos nutrientes para o bom funcionamento do corpo.

Gemada faz bem, mas não para todo mundo

Para muitos, a gemada tem gostinho de infância, mas nem todas as pessoas podem consumi-la. A principal contraindicação é para quem já tem alteração nos níveis glicêmicos, como os pacientes com diabetes 1 e 2.

Além disso, pessoas que estão em processo de emagrecimento, intolerantes à lactose, alérgicos a ovos, proteína do leite e pacientes com esteatose hepática também devem evitar o consumo da receita tradicional.

A boa notícia é que é possível deixar a gemada menos calórica. Para isso, troque o leite integral pelo desnatado e o açúcar por um adoçante natural. Também é interessante adicionar canela e noz moscada, que são alimentos com ação termogênica e antioxidante.

Já no modo de preparo, o ideal é evitar tomá-la crua, já que há o risco de salmonela, uma condição médica causada por um gênero de bactérias que contaminam alimentos malcozidos e são capazes de causar problemas de saúde diversos nos seres humanos. Uma opção é preparar a gemada com gemas pasteurizadas, evitando assim esse risco.

Fontes: Carlos Alberto Werutsky, médico nutrólogo e coordenador do Departamento de Atividade Física e Exercício da Abran (Associação Brasileira de Nutrologia); Diogo Toledo, coordenador médico do Departamento de Terapia Nutricional do Hospital Israelita Albert Einstein (SP) e coordenador da pós-graduação em nutrologia do Hospital Israelita Albert Einstein; Karina Gardini, nutricionista pela Universidade Nove de Julho e pós-graduanda em nutrição esportiva pela Faculdade Unyleya; e Rita de Cássia Almeida Pedrosa, especialista em nutrição clínica e esportiva, que atende na clínica Duoclinik, em Maceió.