PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Atriz Isabel Fillardis tratou câncer de língua; fumar é fator de risco

Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

Bruna Alves

Do VivaBem, em São Paulo*

14/09/2021 17h12

A atriz Isabel Fillardis, 48, voltou a cantar e está lançando um vídeo de sua primeira canção solo, "Meu Lugar", após tratar um câncer de língua.

A doença foi descoberta no final de 2013, logo após ela dar à luz ao seu terceiro filho. "Corri o risco de não conseguir mais falar normalmente. Cantar, então, nem pensar. Essa experiência, por si só, me fez repensar. Fora, claro, a possibilidade de morrer. A partir daí, comecei a refletir sobre como a minha arte e a minha voz são importantes. Foi um verdadeiro divisor de águas para mim", disse em entrevista ao jornal O Globo.

O que é um câncer de língua?

Na verdade, o câncer de língua é um dos tipos do câncer de boca —também conhecido por câncer da cavidade oral ou bucal. Alguns dos sintomas mais comuns são manchas brancas e avermelhadas, feridas que não cicatrizam depois de 15 dias e dificuldade para movimentar a língua. Em casos mais avançados, há sangramento, dificuldade para engolir, falar e aumento de gânglios no pescoço.

Caso perceba algum desses sintomas, procure rapidamente atendimento médico.

De acordo com o Inca (Instituto Nacional de Câncer), o câncer da cavidade oral é mais comum em homens acima dos 40 anos, sendo o 4º tumor mais frequente no sexo masculino na região Sudeste. O desafio, assim como em outros tipos de câncer, é o diagnóstico rápido e assertivo.

"Quanto antes for feito o diagnóstico, maior será a chance de cura do paciente", explica Letícia Lang, dentista oncológica da Oncoclínicas Londrina e do Centro de Oncologia e Radioterapia de Londrina, no Paraná.

De acordo com Gilberto Castro, oncologista do Hospital Sírio-Libanês (SP), especializado em câncer de cabeça e pescoço, o principal fator de risco para a doença é o tabagismo.

"Pode ser o tabaco a partir do cigarro comum, charuto, cachimbo, cigarro de palha, mascar fumo: todos são fatores muito importantes", diz o especialista, que também é professor da FM-USP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo).

Idade, alcoolismo, inflamação crônica da boca ou próteses mal adaptadas que acabam causando machucados também influenciar no surgimento da doença.

"O câncer de boca aparece mais frequentemente em populações com nível socioeconômico e educacional mais inferiores, onde as pessoas têm piores acesso à dentistas e a adequada higiene oral", ressalta Castro.

Tem cura e tratamento

"O tratamento do câncer na língua é prioritariamente cirúrgico —ou seja, você retira o tumor com uma margem de segurança", explica Castro.

Após a cirurgia, o paciente pode precisar de tratamentos complementares como radioterapia e quimioterapia —às vezes, uma combinação entre eles. Isso depende do estágio em que o câncer está e qual sua localização.

Quem cuida desta parte é o cirurgião, mas os dentistas acompanham o paciente durante todo o tratamento, assim como o fonoaudiólogo e nutricionistas. É um tratamento realizado por uma equipe multidisciplinar.

Como prevenir

Existem formas de prevenir o câncer de boca, que envolvem os seguintes cuidados:

  • Não fumar;
  • Limitar o consumo de bebida alcoólica, beba socialmente;
  • Manter a boa higiene bucal;
  • Ter uma alimentação saudável;
  • Ir ao dentista regularmente;
  • Usar camisinha nas relações sexuais;
  • Vacinar-se contra HPV;
  • Se trabalhar exposto ao sol, usar chapéu de abas largas e protetor labial.
*Com informações da reportagem publicada em 01/06/2021.

Saúde