PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Sinovac fecha acordo e fornecerá 380 mi de doses da CoronaVac à Covax

Sinovac fecha acordo para fornecer até 380 milhões de doses da CoronaVac ao consórcio Covax Facility - Matheus Sciamana/Photopress/Estadão Conteúdo
Sinovac fecha acordo para fornecer até 380 milhões de doses da CoronaVac ao consórcio Covax Facility Imagem: Matheus Sciamana/Photopress/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

20/07/2021 09h27Atualizada em 20/07/2021 09h44

O laboratório Sinovac assinou hoje um contrato de compra antecipada para fornecer até 380 milhões de doses da CoronaVac ao consórcio Covax Facility, iniciativa da Gavi (Aliança para a Vacinação) e da OMS (Organização Mundial da Saúde) para a distribuição de vacinas contra a covid-19 a países de baixa e média renda.

Até o final de setembro, serão fornecidas 50 milhões de doses da CoronaVac. O contrato pode ser estendido para a compra de mais 150 milhões de doses entre outubro e dezembro de 2021 e outras 180 milhões de doses nos primeiros meses de 2022.

"Este é mais um exemplo da estratégia de gerenciamento de portfólio ativo da Gavi, garantindo que a Covax Facility tenha opções em face de restrições, como atrasos no fornecimento", afirmou Seth Berkley, CEO da Gavi.

Berkley ainda ressaltou que a CoronaVac tem autorização de uso emergencial concedido pela OMS desde 1º de junho. O aval permite que a vacina seja usada por todos os instrumentos internacionais, como a própria Covax. A esperança da OMS é de que o mecanismo de distribuição de doses ganhe um novo impulso —o sistema patina diante da falta de vacinas, concentradas apenas em alguns países do mundo.

No anúncio de hoje, a Sinovac destacou que testes clínicos de fase 3 na Turquia mostram que a CoronaVac pode prevenir 83,5% dos casos sintomáticos e 100% dos casos fatais.

Também é citado estudo do New England Journal of Medicine, publicado em 7 de julho, que mostra o impacto da vacinação em massa no Chile com a CoronaVac. Os resultados indicam que a vacina tem 65,9% de eficácia na proteção dos casos sintomáticos, além de reduzir 87,5% das internações, prevenir 90,3% dos casos graves e 86,3% das mortes.

No Brasil, a CoronaVac é amplamente usada e fabricada no Instituto Butantan, em São Paulo —onde a vacinação entre adultos foi antecipada de outubro para agosto após a compra de lote de 30 milhões de doses da CoronaVac para uso no estado.

Saúde