PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Covid: 30,3 milhões de brasileiros completam vacinação, 14,36% da população

Mais de 30,3 milhões de brasileiros já completaram a vacinação contra a covid-19 - Sandro Pereira/Fotoarena/Estadão Conteúdo
Mais de 30,3 milhões de brasileiros já completaram a vacinação contra a covid-19 Imagem: Sandro Pereira/Fotoarena/Estadão Conteúdo

Colaboração para o VivaBem, em São Paulo

10/07/2021 20h02

O Brasil atingiu hoje a marca de 30,3 milhões de pessoas que completaram a vacinação contra a covid-19. No total, 30.398.817 brasileiros receberam a segunda dose ou a dose única da Janssen, o correspondente a 14,36% da população nacional. O levantamento é do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte, com base nos dados fornecidos pelas secretarias estaduais de saúde.

Com referência às vacinas que necessitam de duas doses, a primeira delas foi aplicada em 612.490 brasileiros nas últimas 24 horas. O total de vacinados nesta etapa inicial chegou a 83.521.107, o que representa 39,44% da população do país. Entre ontem e hoje, outros 260.648 receberam a dose de reforço. No mesmo intervalo de tempo, a dose única da Janssen foi aplicada em 145.094 pessoas.

Acre, Alagoas, Ceará, Minas Gerais, Mato Grosso, Paraíba e Rondônia não forneceram dados atualizados sobre a vacinação até o horário de fechamento do boletim do consórcio de imprensa, às 20h.

Há quatro vacinas em uso no Brasil neste momento. Conforme a recomendação dos laboratórios responsáveis pela produção da CoronaVac, Oxford/AstraZeneca e Pfizer/BioNTech, estes imunizantes precisam de duas doses para um combate mais eficiente à covid-19. No caso da Janssen, a fabricante indica a necessidade de somente uma dose.

Proporcionalmente, o estado de São Paulo continua como o que mais aplicou a primeira dose de vacina: 46,24% de sua população.

O Mato Grosso do Sul permanece na primeira posição entre os estados que, em termos percentuais, contam com a maior parcela da população com vacinação completa - ou seja, receberam a segunda dose ou a dose única: 26,15% de seus habitantes.

Terceira dose tem impulso com Delta; Pfizer fará estudo no país

A Pfizer já recebeu autorização da Anvisa para conduzir um estudo clínico no Brasil sobre a efetividade da aplicação de uma dose de reforço da vacina contra a covid-19 para maior proteção contra a infecção, sobretudo contra novas variantes. A decisão vem logo após os EUA liberarem a farmacêutica para aplicar reforço na população e das discussões advindas do avanço da variante Delta.

Dados de estudo conduzido pela Pfizer nos EUA mostram que a dose extra cria níveis de anticorpos cinco a dez vezes maiores do que os adquiridos com apenas duas. Lá, a variante Delta, que é mais transmissível e pode se espalhar rapidamente, provoca 25% dos casos. No Brasil, a prevalência é, em larga escala, da variante Gama, detectada originalmente em Manaus. De 70% a 100% dos casos nos Estados são desse tipo. Já se sabe que a Delta circula em São Paulo e, possivelmente, no Rio.

"A gente sabe que a resposta imunológica contra qualquer antígeno tende a cair depois de um tempo", explica o virologista Flávio Guimarães, pesquisador do Centro de Tecnologia de Vacinas da Universidade Federal de Minas (UFMG). "No caso da covid-19, ainda estamos entendendo como essa queda acontece, depois de quantos meses, para quais variantes."

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) confirmou a autorização dada à Pfizer e informou que, até o momento, a farmacêutica foi a única a pedir essa autorização. A pesquisa pretende avaliar a segurança, a imunogenicidade (capacidade de estimular a produção de anticorpos contra o agente causador de uma doença) e a eficácia de várias estratégias de reforço da vacina em diferentes populações que já receberam duas doses do imunizante.

Veículos se unem pela informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes de autoridades e do próprio presidente durante a pandemia colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Você utiliza a Alexa? O UOL fornece informações à inteligência artificial por voz da Amazon, com boletins de notícias e dados atualizados do número de brasileiros vacinados contra a covid-19. Para saber sobre a vacinação no país ou no seu estado com a credibilidade do UOL, pergunte: "Alexa, quantas pessoas já foram vacinadas no Brasil?", por exemplo, ou "Alexa, quantas pessoas foram vacinadas?". Nos encontramos lá!

Saúde