PUBLICIDADE

Topo

VivaBem

SP: Cinco cidades adotam medidas para quem escolher ou recusar vacina

Cidades adotam medidas para tentar impedir que pessoas escolham a vacina conforme o fabricante - Dado Ruvic/Reuters
Cidades adotam medidas para tentar impedir que pessoas escolham a vacina conforme o fabricante Imagem: Dado Ruvic/Reuters

Colaboração para o UOL

02/07/2021 15h34

Pelo menos cinco cidades do estado de São Paulo passam a adotar medidas contra aqueles que quiserem escolher ou se recusarem a tomar vacinas contra a covid-19 por conta da fabricante. As decisões dos municípios incluem assinar um termo e ir para o fim da fila de imunização.

Isso porque algumas pessoas têm recusado os imunizantes da CoronaVac (Butantan) e da AstraZeneca (Fiocruz), e procurado aquelas da Pfizer e da Janssen (dose única). A atitude é vista por especialistas e gestores públicos como ameaça à vacinação em massa - única forma de combate efetivo à covid-19 -, e lembram que todos os imunizantes disponíveis no país passaram por um criterioso processo de testes, são seguros e eficazes, e tiveram a eficácia desejada comprovada.

A primeira a anunciar uma sanção foi São Bernardo do Campo. Um decreto determina que a pessoa que recusar determinada marca de vacina deverá assinar um documento no momento da negativa. Com isso, o cidadão só ficará apto a ser vacinado após todas as pessoas com 18 anos ou mais receberem a primeira dose. A decisão começou a valer ontem.

Hoje, o prefeito da cidade do ABC paulista, Orlando Morando (PSDB), criticou quem está mais preocupado em viajar do que em se proteger. Para ele, o problema começou a aparecer na faixa etária abaixo de 50 anos. "Quem está querendo escolher marca está mais preocupado em querer vacina que está autorizada a entrada deles em outros países do que com a proteção do próprio corpo e da sua saúde", declarou, em entrevista à GloboNews.

Em São Caetano do Sul, os "sommeliers da vacina" - como tem sido chamados aqueles que quererem escolher qual imunizante tomar - também são encaminhados para o fim da fila desde o primeiro dia de julho. A prefeitura tomou essa decisão com a justificativa de que essas pessoas "travam o bom andamento da vacinação" e "colocam em risco as próprias vidas e também as de todos à sua volta".

Já em São José do Rio Preto, quem disser não ao imunizante oferecido deverá assinar um termo afirmando que se negou a tomá-lo por causa da marca. Lá, a pessoa não ficará para trás no calendário, mas não poderá receber dose de marca diferente da qual recusou. O documento será, então, anexado ao prontuário médico do cidadão da rede municipal de saúde. Segundo a Secretaria de Saúde, essa é uma maneira da pasta "se resguardar de eventuais problemas futuros, caso a pessoa que recusar a vacina seja contaminada".

"A vacina não é livre escolha. Às vezes a pessoa fica se expondo 15, 20 dias, na expectativa de chegar uma vacina. A partir daí, não divulgaremos qual vacina é. A vacina mais importante é aquela aplicada no braço", afirmou o secretário de Saúde de Rio Preto, Aldenis Borim, durante entrevista coletiva ontem.

Em Jales, a medida começou a valer hoje. Lá, a Secretaria Municipal de Saúde vai passar a exigir a assinatura de um "termo de recusa" de quem recusar determinada marca do imunizante. No papel, no entanto, não constará o nome da vacina recusada e não foi especificado se haverá punição a essas pessoas.

Também precisará assinar um termo de responsabilidade quem recusar a receber a vacina em Urupês. Assim, quem decidir se vacinar em data posterior à inicialmente indicada no calendário oficial da cidade "deverão aguardar dose remanescente na grade vacinal".

De acordo com o calendário do governo do estado de São Paulo, as pessoas com 18 a 24 anos devem receber a primeira dose até 15 de setembro. Cada município, porém, tem sua própria fila e essa data pode ser adiantada ou atrasada.

Para tentar impedir a escolha da vacina pela marca, muitas cidades também pararam de anunciar antecipadamente qual será aplicado em cada dia, posto de imunização e grupo alvo. Com isso, as pessoas passam a saber qual o imunizante apenas no momento exato da aplicação.

VivaBem