PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Dubladora morre por AVC aos 46; entenda causas do quadro em jovens

Ana dublava a personagem Suzy, do desenho Peppa Pig - Reprodução/Instagram
Ana dublava a personagem Suzy, do desenho Peppa Pig Imagem: Reprodução/Instagram

Do VivaBem, em São Paulo

20/04/2021 11h19

A dubladora Ana Lucia Menezes morreu aos 46 anos, por complicações de um AVC (acidente vascular cerebral) nesta terça-feira (20).

A atriz sofreu o problema na terça-feira (13) e foi internada no último domingo (18), para se recuperar na clínica São Vicente, na Gávea, no Rio de Janeiro.

Ela era conhecida por seu trabalho em interpretar as vozes de personagens como Suzy, no desenho Peppa Pig, Lupita, na novela Rebelde, e Sam Pucket na série iCarly.

O AVC acontece quando vasos que levam sangue até o cérebro entopem ou se rompem. Isso provoca paralisia da atividade cerebral na área que ficou sem circulação sanguínea, o que causa complicações no funcionamento dos órgãos e pode causar a morte.

Embora seja mais comum em idosos, já que idade está entre os principais fatores de risco, o número de jovens que sofrem o quadro têm aumentado em alguns países nos últimos anos. No Brasil, o aumento relatado por um estudo publicado no Plos One foi sutil entre 2008 e 2012 em pessoas com idade entre 15 e 49 anos, mas nem por isso deve ser desconsiderado.

O que explica o AVC em uma pessoa jovem

Estresse, obesidade e hábitos de vida pouco saudáveis, como sedentarismo, má alimentação —com alimentos gordurosos e ultraprocessados — além do uso excessivo de álcool e de drogas estão entre os principais responsáveis pelo AVC, segundo José Renato Bauab, neurologista do HCor (Hospital do Coração).*

O quadro é mais grave para quem não é idoso?

Com o aumento da pressão intracraniana, decorrente do edema (inchaço) que o cérebro apresenta na fase aguda do AVC, costuma trazer maior repercussão e maior risco de morte em jovens. Isso acontece porque essas pessoas têm menor complacência ao aumento da pressão intracraniana.

"Com o passar da idade, há redução no volume do cérebro, fazendo com que exista maior espaço dentro do crânio, permitindo assim maior tolerância ao inchaço em idosos", explica Eli Evaristo, neurologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

Outro fator que pode tornar um AVC mais severo em pessoas abaixo de 45 anos é que, conforme a idade avança, o cérebro tende a "criar" novos vasos sanguíneos, para driblar problemas na circulação do sangue trazidos pelo diabetes, hipertensão etc. Isso traz uma proteção natural ao tecido cerebral, pois quando um vaso se rompe ou entope no AVC, há outros "caminhos" que permitem que o sangue continue sendo distribuído.

*Com informações da reportagem de Rodnei Corsini, publicada em 04/07/2019

Saúde