PUBLICIDADE

Topo

VivaBem

Agência alerta que gestantes e lactantes não devem tomar vacina da Pfizer

Vacina da Pfizer não foi suficientemente testada em grávidas - Divulgação
Vacina da Pfizer não foi suficientemente testada em grávidas Imagem: Divulgação

Colaboração para o UOL

07/12/2020 10h09Atualizada em 09/12/2020 09h47

A vacina da Pfizer contra a covid-19, que começará a ser aplicada amanhã no Reino Unido, tem uma restrição importante: mulheres grávidas ou que estejam amamentando não podem tomar esse imunizante por enquanto. A informação foi divulgada pela agência reguladora britânica.

A explicação é que se trata de uma medida de cautela, porque não houve tempo para formular testes precisos com grávidas e lactantes.

"A vacina Pfizer-BioNTech COVID-19 é um novo tipo de vacina que se mostrou eficaz e tem um bom perfil de segurança. Ainda não foi avaliada durante a gravidez, portanto, foi informado que, até que mais informações estejam disponíveis, as mulheres grávidas não devem receber esta vacina", alertou a agência reguladora.

Essas são as orientações do departamento de saúde britânico em relação a gravidez e amamentação:

  • se você estiver grávida, não deve se vacinar, apenas após o final da gravidez
  • se você pode estar grávida, não deve se vacinar até ter certeza de não estar
  • se você pensa em engravidar nos próximos três meses, deve adiar a vacinação
  • se você tomar as duas doses, deve engravidar no mínimo dois meses após a segunda dose
  • se você tomar a primeira dose e depois engravidar, só deve tomar a segunda dose após o final da gravidez
  • se você estiver amamentando, não deve se vacinar, apenas após o final do período de amamentação
  • se você tomar a primeira dose enquanto estiver amamentando, deve adiar a segunda para após o final do período de amamentação

O serviço público britânico vai disponibilizar 10 milhões de doses da vacina da Pfizer ainda em 2020.

Por enquanto, o Brasil não comprou a vacina da Pfizer, mas fez reuniões com a empresa recentemente.

VivaBem