PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Rússia diz que vacina Sputnik V tem mais de 95% de eficácia após 2ª dose

Pesquisadora exibe vacina contra o coronavírus registrada pela Rússia - RDIF/Handout via Xinhua
Pesquisadora exibe vacina contra o coronavírus registrada pela Rússia Imagem: RDIF/Handout via Xinhua

De Viva Bem, em São Paulo*

24/11/2020 08h24Atualizada em 24/11/2020 09h57

A Rússia anunciou hoje que a sua vacina contra a covid-19, Sputnik V, desenvolvida pelo Centro de Pesquisas Gamaleya, tem eficácia de mais de 95% após a aplicação da segunda dose.

Esses são resultados preliminares obtidos com voluntários 42 dias após a aplicação da primeira dose e 21 dias após a segunda dose, indicam em um comunicado o centro Gamaleya, o ministério russo da Saúde e o fundo soberano russo envolvido no desenvolvimento da vacina. Os dados ainda não foram revisados e publicados por uma revista científica.

Há duas semanas, o governo russo havia divulgado que eficácia da vacina era superior a 90%, mas não trouxe detalhes. No comunicado de hoje, os desenvolvedores explicaram como os resultados foram obtidos.

Considerando os dados obtidos 28 dias após a aplicação da primeira dose —7 dias após a segunda—, a eficácia da vacina foi de 91,4%. O cálculo foi feito com base nos resultados de 18.794 voluntários que já receberam a vacina ou placebo.

Entre os que receberam a vacina (14.095), oito contraíram covid-19. Já entre os que receberam placebo (4.699), houve 31 casos positivos da doença. Os russos projetam que um novo relatório seja divulgado quando os diagnósticos positivos de covid entre voluntários chegarem a 78.

A Sputnik V está na fase 3 de testes, a última antes de ser aprovada para aplicação em massa. Participam dessa etapa do estudo 40 mil voluntários na Rússia, Belarus, Emirados Árabes Unidos, Índia e Venezuela.

De acordo com o comunicado, não houve eventos adversos inesperados nos voluntários que receberam a vacina. Alguns apresentaram dor no local de aplicação, febre, dor de cabeça, fadiga e outros sintomas leves.

"Os dados demonstrando a alta eficácia da vacina Sputnik V nos dão esperança que em breve teremos a ferramenta mais importante contra a pandemia do novo coronavírus", celebrou o ministro da Saúde da Rússia, Mikhail Murashko.

Vacina mais barata

No mesmo dia em que divulgaram o segundo relatório parcial de eficácia da Sputnik V, os desenvolvedores da vacina informaram que ela custará menos de 20 dólares por pessoa (10 dólares por dose) em mercados internacionais - valor inferior ao previsto por outros imunizantes concorrentes - e será gratuita para cidadãos russos.

O chefe do Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF), Kirill Dmitriev, disse que a Rússia cobraria menos pelo potencial imunizante do que suas rivais, acrescentando que Moscou pretende produzir mais de 1 bilhão de doses dentro e fora do país no ano que vem.

Pfizer e Oxford já concluíram testes

Por enquanto, apenas duas vacinas já apresentaram os resultados finais da fase 3 de testes. Na semana passada, a Pfizer informou que seu imunizante, produzido em parceria com a BioNtech, tem 95% de eficácia.

Ontem, foi a vez de a universidade de Oxford e o laboratório AstraZeneca divulgarem seu resultado: eficácia média de 70%, podendo chegar a 90% com a aplicação de uma dose menor.

*Com informações da AFP

Saúde