PUBLICIDADE

Topo

Conexão VivaBem

Alimentação


Kozlowski: "Sempre fiz esporte e comi bem; noto os benefícios hoje, aos 46"

Do VivaBem, em São Paulo

09/09/2020 10h30

No Conexão VivaBem desta quarta-feira (9), Glenda Kozlowski disse que está notando agora, aos 46 anos, os resultados dos cuidados com o corpo e a alimentação. A criadora de conteúdo, que já foi atleta de bodyboard, contou que sempre se preocupou muito com a saúde, por causa do câncer da mãe.

"Eu me preocupo muito com essa história de prevenção porque minha mãe teve câncer e foi tudo muito rápido, então sempre fiquei muito ligada com os cuidados", disse.

Além de praticar atividades físicas regularmente, mesmo após o fim da carreira esportiva, ela mantém uma alimentação regrada e disse que começou a beber socialmente apenas após os 35 anos. "Antes eu era atleta, aí comecei a trabalhar muito, então eu simplesmente não bebia. Minha alimentação era regrada e fazia muita atividade física. Eu noto os benefícios disso hoje, com a minha idade. Estou com 46 anos e noto que eu levo bem, não sinto tanto cansaço assim".

Agora, ela disse estar se preparando para a menopausa, então está fazendo um tratamento ortomolecular, medicina que se baseia na restauração dos níveis ideais de substâncias, como vitaminas e minerais.

Prevenção começa cedo

Por saber que seu estilo de vida regrado não é comum entre os mais jovens, Kozlowski se diz preocupada com o futuro da atual geração. "Quando eu olho para os jovens bebendo, fumando, usando cigarro eletrônico, fico imaginando como será essa geração quando eles chegarem aos 40, porque não é agora que eles sentem as mudanças".

A nutricionista e doutoranda em neurologia Neiva Souza contou que tem recebido pacientes cada vez mais jovens relatando uma redução no rendimento intelectual e energético. É como se envelhecessem mais rapidamente, contou ela. "Naturalmente, a partir dos 30 anos o processo de envelhecimento passa a ficar um pouco mais acelerado. Mas quanto pior a nossa alimentação, nosso estilo de vida, menos atividade física, mais sedentarismo, mais rápido é esse processo".

Souza disse perceber que a "conta" chega cada vez mais cedo, devido aos hábitos nada saudáveis propagados desde criança. Alimentos industrializados, sedentarismo e, com o passar dos anos, a exposição ao álcool e ao cigarro são altamente prejudiciais ao organismo e envelhece as células. E o cérebro é uma das primeiras estruturas que sentem isso.

Kozlowski, que tem filhos de 14 e 24 anos, disse que os próprios jovens e pais deveriam se preocupar com isso desde cedo. "Esses pacientes deveriam chegar ao consultório reclamando desses problemas só daqui a 10 ou 15 anos. Fico muito preocupada".