PUBLICIDADE

Topo

VivaBem

Vítimas de covid-19 têm mais insônia, ansiedade e depressão, diz estudo

Pacientes do cronavírus que precisaram ser internados tem o risco dobrado de desenvolver ansiedade, depressão, insônia e até demência - Xiong Qi/Xinhua
Pacientes do cronavírus que precisaram ser internados tem o risco dobrado de desenvolver ansiedade, depressão, insônia e até demência Imagem: Xiong Qi/Xinhua

De Viva Bem, em São Paulo*

19/08/2020 09h14Atualizada em 19/08/2020 10h05

Um em cada 16 pacientes infectados com a covid-19 desenvolve algum transtorno mental dentro de três meses. A conclusão é do estudo desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Oxford — publicado sem revisão de pares.

A pesquisa foi divulgada no domingo (16) na plataforma científica de artigos MedRxiv. Os cientistas analisaram 62 mil pessoas que tiveram diagnóstico positivo para o coronavírus.

Em pacientes sem um histórico psiquiátrico, a covid-19 levou a uma incidência maior de ansiedade, depressão, insônia e, de maneira mais rara, demência.

Nesses casos, os transtornos foram revelados em até três meses após o contágio.

"Este risco é cerca de duas vezes maior do que o esperado entre pacientes que estavam doentes o suficiente para serem hospitalizados", disse o pesquisador que chefiou o estudo britânico, Maxime Taquet, para a agência de notícias Reuters.

A pesquisa também apontou que pessoas com alguma doença mental já existente têm um maior risco de desenvolver a covid-19.

As análises foram feitas em comparação com o surgimento de transtornos em tratamentos de outras doenças e eventos de saúde: como influenza, infecções respiratórias, infecções de pele, pedra na vesícula (colitíase), pedra nos rins (urolitíase) e a fratura de algum osso grande.

No início de agosto, um outro estudo feito em um hospital da Itália mostrou que 55% dos 402 pacientes internados em decorrência da covid-19 desenvolveram ao menos um transtorno psicológico.

*Com informações da agência Reuters

VivaBem