PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Como proteger o corpo dos danos causados pelo tempo seco

iStock
Imagem: iStock

Cristiane Bomfim

Da Agência Einstein

19/06/2020 11h52

No dia 20 de junho tem início o inverno. A estação com temperaturas mais amenas em todo país —e alguns dias bem gelados em alguns pontos — é marcada também pela escassez de chuvas e baixa umidade relativa do ar no período da tarde, nas regiões Norte, Centro-Oeste e Sudeste. Esta condição climática é caracterizada pela baixa quantidade de água em vapor na atmosfera, tornando o ar mais seco.

Os ventos calmos, a falta de chuva e a poluição favorecem a formação da bruma, em que substâncias sólidas como poeira e fumaça ficam suspensas no ar e podem causar problemas de saúde.

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), o nível ideal de umidade relativa do ar para organismo humano está entre 40% e 70%. Abaixo desses valores, o tempo seco provoca o ressecamento das vias aéreas, aumentando as chances de incidência de infecções respiratórias —como resfriado, gripe e pneumonia — e irritações do trato respiratório —tosse, dor de garganta e sangramento nasal.

"Também há um aumento das doenças pulmonares obstrutivas como asma, bronquite e enfisema. Manter o corpo hidratado, estar vacinado e manter as medicações de uso habitual são as melhores formas de prevenir ou reduzir os efeitos do tempo seco no organismo", explica o pneumologista do Hospital Israelita Albert Einstein, Humberto Bassit Bogossian.

É normalmente no meio do dia, entre 10h e 18h, que o ar fica mais seco e com índices que podem chegar aos alarmantes 30% ou menos de umidade. Na capital paulista, por exemplo, quando este índice é constatado, a Defesa Civil declara estado de atenção. Entre 20% e 12% é decretado de atenção. Abaixo dos 12%, a condição climática é típica de desertos e o estado é de emergência.

19.set.2017 - Pôr do sol na região do Bairro da Pompeia, zona oeste de São Paulo: clima seco e forte camada de névoa encobre a cidade - Foto Marcelo D. Sants/FramePhoto - Foto Marcelo D. Sants/FramePhoto
Pôr do sol na região do Bairro da Pompeia, zona oeste de São Paulo: clima seco e forte camada de névoa encobre a cidade
Imagem: Foto Marcelo D. Sants/FramePhoto

"Para quem pratica atividades físicas, o ideal é escolher os horários extremos. Ou seja, começo da manhã e da noite, quando a umidade do ar aumenta", explica Bogossian. O pneumologista dá ainda outras dicas para evitar danos à saúde:

  • Ingerir bastante líquidos
  • Manter ambientes limpos e arejados para evitar acúmulo de pó e transmissão de vírus, como o da gripe
  • Usar umidificadores para diminuir a secura do ar. Panos úmidos espalhados pela casa são uma opção
  • Evitar a prática de atividades físicas entre 10h e 18h
  • Evitar banhos muito quentes. Assim como as vias respiratórias, nesta época do ano, a pele fica mais ressecada. Hidratantes corporais ajudam a manter esse equilíbrio
  • Limpar olhos e nariz com soro fisiológico para evitar o ressecamento e possíveis irritações.
  • Inalação é uma boa alternativa para crianças e idosos. Pode ser feita até três vezes ao dia. E em caso de dúvida sobre como usar, consulte um médico
  • Lavar as roupas de inverno antes de usar

(Fonte: Agência Einstein)

Saúde