PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Maus hábitos podem causar câncer de fígado, doença que matou Vadão

Denis Balibouse/Reuters
Imagem: Denis Balibouse/Reuters

Do VivaBem, em São Paulo

25/05/2020 15h40

O ex-técnico da seleção feminina de futebol, Oswaldo Fumeiro Alvarez, mais conhecido como Vadão, faleceu hoje, aos 63 anos, vítima de um câncer de fígado.

De acordo com apuração de UOL Esporte, Vadão descobriu o câncer no início de 2020 e já em estágio avançado. O ex-treinador estava se tratando em Campinas, interior de São Paulo, mas veio para a capital depois de complicações.

Conforma apontam dados do INCA (Instituto Nacional de Câncer), o câncer de fígado é o sexto mais letal no Brasil. As causas mais comuns para o aparecimento da doença são maus hábitos alimentares —ingestão excessiva de frituras, alimentos ultraprocessados e gordurosos —, consumo exagerado de álcool, tabagismo, obesidade, esquistossomose e esteatose hepática, mais conhecida como gordura no fígado.

A cirrose e a esteatose são fatores de risco para o hepatocarcinoma, um tipo agressivo de câncer das células hepáticas que causa mais 9700 mortes ao ano, segundo o INCA. Cerca de metade dos pacientes com esse tipo de câncer têm cirrose hepática, doença que pode ser consequência não apenas da esteatose e do alcoolismo, mas principalmente da infecção pelos vírus da hepatite B ou C.

Diagnóstico geralmente é feito quando o paciente está em estágio avançado

Devido ao curto tempo de evolução do hepatocarcinoma, geralmente o tumor se encontra avançado quando é feito o diagnóstico. O tempo de duplicação do volume de massa é de, em média, quatro meses. Segundo o INCA, alguns exames ajudam o médico a confirmar o diagnóstico:

Tomografia computadorizada

Exame que utiliza Raios X e tecnologia do computador para produzir imagens como se fosse um "corte" do corpo e serve para descobrir e localizar os tumores.

Ressonância Nuclear Magnética (RNM)

Não apresenta grande diferença em relação à tomografia computadorizada no que se refere à capacidade de identificar os tumores hepáticos primários ou metastáticos, mas não utiliza Raios X. Esse exame pode definir um pouco melhor a extensão do tumor nos pacientes com cirrose hepática.

Laparoscopia (investigação direta do interior do abdômen)

Permite visualização direta do órgão e a biópsia (remoção de uma pequena quantidade de tecido para análise laboratorial que vai determinar se o tumor é maligno ou não). É mais eficaz quando associado à ultrassonografia videolaparoscópica.

Sintomas

Na maioria dos casos, o tumor está em estágio avançado quando é a diagnosticado, mas alguns sintomas podem dar sinais da doença no organismo, são eles: dor abdominal, distensão abdominal, perda de peso inesperada, perda de apetite, mal-estar, icterícia (cor amarelada na pele e nos olhos) e ascite (acúmulo de líquido no abdômen).

Como prevenir

  • Evitar contágio pelos vírus das hepatites B e C;
  • Prevenir doenças como esteatose e diabetes;
  • Evitar consumo excessivo de álcool;
  • Praticar atividade física e gerenciar peso;
  • Manter uma alimentação saudável, rica em produtos naturais.

*Dados de matérias publicadas no dia 15/01/2019 e 11/06/2018.

Saúde