PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Cientistas descobrem molécula que pode ajudar no tratamento de Parkinson

iStock
Imagem: iStock

Do VivaBem, em São Paulo

17/02/2020 18h22

Pesquisadores da Universidade de Helsinque, na Finlândia, descobriram que uma nova molécula pode ajudar no tratamento com o Parkinson.

Trata-se da BT13, que tem potencial de aumentar os níveis de dopamina, uma das principais substâncias químicas que é perdida quando a pessoa é diagnosticada com a condição. Os resultados foram publicados em estudo na revista online Movement Disorders.

Como o estudo foi feito

A pesquisa se baseou em estudos anteriores sobre outra molécula que tem como alvo os mesmos receptores no cérebro, o fator neurotrófico derivado da linha celular glial (FNDG), um tratamento experimental para Parkinson.

Embora os resultados tenham sido positivos para essa proteína, a FNDG requer uma cirurgia complexa para chegar fazer efeito no cérebro.

Quando os cientistas começaram investigar o uso da molécula BT13 em ratos, descobriram que ela era um pouco menor, capaz de atravessar a barreira hematoencefálica (estrutura que protege o sistema nervoso central) e, por tanto, poderia ser melhor administrada no tratamento contra a doença.

Os autores também verificaram um aumento nos níveis de dopamina no cérebro de ratos após a injeção da molécula.

"As pessoas com Parkinson precisam desesperadamente de um novo tratamento que possa parar a doença, em vez de apenas mascarar os sintomas", diz David Dexter, vice-diretor de pesquisa da Parkinson UK.

"Estamos trabalhando constantemente para melhorar a eficácia do BT13. Agora estamos testando uma série de compostos similares que foram previstos por um programa de computador com características ainda melhores", conclui Yulia Sidorova.

Saúde