PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Vibrador vai parar na bexiga de mulher; quanto o canal do xixi é elástico?

Objeto na bexiga aumenta risco de infecções - Reprodução/YouTube
Objeto na bexiga aumenta risco de infecções Imagem: Reprodução/YouTube

Priscila Carvalho

Do VivaBem, em São Paulo

28/01/2020 19h00

Uma mulher teve que ser submetida a uma cirurgia de emergência depois que um vibrador entrou pelo canal da uretra e ficou na bexiga. Segundo o site "Women's Health", a americana usou o brinquedo durante um jantar com o namorado e não percebeu que o objeto entrou no corpo.

"Eu me movi e, do nada, senti uma dor muito forte. A primeira reação foi de pânico, porque eu tinha acabado de perder algo dentro de mim", disse ela.

A uretra fica acima da entrada da vagina e um pouco abaixo do clitóris. O canal conduz a urina do interior da bexiga para fora do corpo e tem 5 milímetros de diâmetro, o que é considerado, pelos especialistas, extremamente pequeno para receber objetos como um vibrador —o usado pela moça tinha 12 milímetros.

Segundo Alfredo Canalini, secretário-geral da SBU (Sociedade Brasileira de Urologia), casos como esse são muito raros, no entanto, o objeto pode entrar na uretra caso a mulher pratique a masturbação há muito tempo na região, já que o canal é elástico e pode ir se alargando —é difícil estabelecer um limite, até porque, ele não foi feito para receber objetos e não é recomendado tentar alargá-lo. A elasticidade da parede do canal é uma capacidade funcional. Ele se alarga para facilitar a expulsão do xixi e depois volta ao normal para evitar que a urina "escape" sozinha.

O especialista afirma que já atendeu outros casos semelhantes aqui no Brasil. "Quando o vibrador é introduzido por muito tempo no local errado, a mulher pode se acostumar com a dor e, em alguns casos, provocar até um alargamento, mesmo que mínimo. Normalmente, ao colocar pela primeira vez na uretra, a sensação inicial é de muita dor e desconforto já que é um orifício muito pequeno", diz.

A ginecologista Lidia Hyun Joo Myung, professora do Programa de Fellowship em Cirurgia Minimamente Invasiva e Endometriose do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo e especialista da Clínica Medicina da Mulher (SP), ressalta a importância da mulher se tocar e perceber os pontos do corpo. Ela reforça ainda que o caso é incomum e ninguém precisa deixar de usar o vibrador por causa disso. "Esse é um caso isolado. A mulher pode usar vibrador. A maneira ideal de colocá-lo é introduzir com o dedo e sentir que está no canal da vagina", afirma.

A mulher passou por uma cirurgia para a retirada do vibrador. De acordo com Myung, o procedimento foi necessário já que não seria possível expelir o objeto de forma natural.

Risco de um vibrador na bexiga

O correto é introduzir o vibrador na entrada da vagina ou na região do clitóris. Ao colocar o vibrador na uretra, o risco de desenvolver diversas doenças é grande. Ao cair na bexiga, como ocorreu com a americana, o objeto pode provocar infecções, perfurar órgãos e, em casos mais graves, causar hemorragias internas.

VivaBem no Verão - 2ª edição

O VivaBem está no litoral paulista com o VivaBem no Verão. São dois espaços na Riviera de São Lourenço (Bertioga) com diversas opções de atividades físicas, lazer, cultura e comidas para você curtir o calor com a família ou os amigos. Saiba mais sobre o evento aqui e venha nos visitar!

Data: de 26 de dezembro de 2019 até o dia 09 de fevereiro de 2020, de quinta a domingo
Horário de funcionamento: das 9h até as 13h (praia) e das 17h até a 1h (arena)
Endereço arena: Av. Riviera, s/n, próximo ao shopping
Local do espaço na praia: canto direito da praia de Riviera de São Lourenço
Entrada: gratuita

Saúde