Topo

Alimentação

Ideias e informações para você comer melhor


Alimentação

Falta de vitamina B12 não ocorre só em veganos: veja quem deve se preocupar

iStock
Imagem: iStock

Priscilla Auilo Haikal

Colaboração para o VivaBem

10/09/2019 04h00

Resumo da notícia

  • A vitamina B12 é essencial para a formação adequada de glóbulos vermelhos e no desenvolvimento das células cerebrais e nervosas
  • A falta desse nutriente pode dificultar a o foco e a concentração, provocar formigamento nas pernas e nas mãos e até problemas com o equilíbrio
  • A deficiência está muito mais relacionada com a má absorção devido distúrbios gastrintestinais e idade avançada do que por restrições alimentares

Independente da estação do ano, do exercício febre nas academias ou da dieta da moda entre os artistas, existe uma recomendação para ser saudável que nunca muda: estar em dia com as vitaminas do organismo. São nutrientes essenciais para o nosso corpo pois possuem funções bioquímicas, e atuam no metabolismo de carboidratos, minerais, lipídios e proteínas. Ou seja, dependemos delas para manter as funções corporais regulares.

Pouco conhecida pelo nome de cobalamina, a vitamina B12 é uma das que fazem a diferença na nossa saúde, e muitas vezes nem sabemos que a falta dela é a razão para sintomas como falta de concentração, dificuldades em manter a atenção e o foco, formigamento nas pernas e nas mãos e até problemas com o equilíbrio. Isso tudo acontece pois ela é necessária para a formação adequada de glóbulos vermelhos (responsáveis pelo transporte de oxigênio para os tecidos no nosso organismo), na síntese de DNA e na manutenção e desenvolvimento das células cerebrais e nervosas.

É um nutriente encontrado em alimentos de origem animal, como peixes, carne vermelha e de fígado, derivados do leite e ovos. Por causa disso, sua deficiência geralmente é atribuída a pessoas veganas ou vegetarianas, mas a falta da B12 está ligada a outros fatores, como idade avançada ou distúrbios gastrintestinais.

Para começo de conversa

Para saber os motivos que envolvem a deficiência da B12, é importante entender como ela funciona no nosso organismo. São vitaminas hidrossolúves e suas ações estão diretamente ligadas à regulação do metabolismo celular. Após a ingestão de alimentos, a vitamina B12 chega ao estômago combinada com proteínas e depende do ácido clorídrico e de enzimas presentes no suco gástrico para retornar à sua forma livre. Depois disso, as células da parede do estômago secretam uma glicoproteína indispensável para sua absorção, chamada "fator intrínseco".

Por estar combinada com essa proteína, a vitamina B12 resiste à ação de enzimas presentes no intestino, até chegar no íleo (a última porção do intestino delgado), onde é absorvida. Portanto, é um processo que depende do bom funcionamento do estômago, pâncreas e íleo, e por isso que alterações no sistema digestivo podem se relacionar com a falta da B12.

A partir disso, é possível detalhar quais os grupos de risco mais propensos a ter deficiência da vitamina no organismo.

Pessoas com problemas gastrintestinais devem ficar alertas

Alguns fatores podem colaborar com a falta de vitamina B12. Um deles é o uso prolongado de medicamentos que suprimem o ácido estomacal, indicados para quem sofre de doenças como refluxo gastroesofágico ou úlcera péptica. São remédios como inibidores da bomba de prótons, bloqueadores de H2 e outros antiácidos, que retardam a liberação ou diminuem a produção de ácido estomacal, responsável por fazer com a B12 seja liberada em sua forma utilizável no estômago.

Outra doença que também pode estar relacionada é a gastrite crônica atrófica, quando os anticorpos atacam o revestimento do estômago, provocando a diminuição ou extinção das enzimas gástricas. Ao prejudicar a absorção de vitamina B12, pode levar ao quadro conhecido como anemia perniciosa.

Indivíduos com distúrbios do estômago e do intestino delgado, como doença celíaca e doença de Crohn, também podem não conseguir absorver vitamina B12 suficiente dos alimentos para manter reservas saudáveis no corpo.

Aqueles que realizaram intervenções cirúrgicas também

Todos aqueles que realizaram procedimentos gastrintestinais, como cirurgia para redução de peso (bariátrica) ou para remover todo ou parte do estômago, geralmente perdem células que secretam ácido clorídrico e fator intrínseco, afetando a absorção da B12.

A remoção cirúrgica do íleo distal também pode resultar na mesma incapacidade. Indivíduos submetidos a esses procedimentos cirúrgicos devem ser monitorados no pré e pós-operatórios quanto a várias deficiências nutricionais, incluindo de vitamina B12.

Quem já passou dos 50 anos

A deficiência de vitamina B12 em pessoas com mais de 50 anos tem a ver com o desenvolvimento progressivo de atrofia gástrica de origem genética, que é a redução da acidez no estômago conforme a idade, o que acarreta falha na liberação da vitamina, resultando em redução na absorção.

O Instituto de Medicina dos EUA (Food and Nutrition Board) recomenda suplementação de B12 em todos os indivíduos (que comem ou não carne) acima dos 50 anos de idade.

Esse quadro também é comum em idosos institucionalizados, o que tem relação com a ingestão alimentar. Vale destacar que é um fator importante na avaliação clínica dos pacientes nessa idade, já que o diagnóstico precoce pode evitar distúrbios neurológicos e hematológicos.

Veganos e vegetarianos

Em relação às escolhas alimentares, pessoas que não comem carne, peixe, aves, ovos ou laticínios correm o risco de se tornarem deficientes em vitamina B12, uma vez que é encontrada naturalmente em produtos de origem animal. Mas como cada organismo tem sua especificidade, essa é uma variável que depende do processo de digestão e da demanda corporal do indivíduo.

Por esse motivo, aqueles que seguem uma dieta vegetariana ou vegana devem ficar atentos com a possibilidade de repor a vitamina. De acordo com especialistas, as necessidades diárias variam entre 0,4 mcg/dia a 2,8 mcg/dia (de acordo com sexo e idade).

Mulheres que tomam anticoncepcional

Algumas pesquisas apontam para uma possível ligação entre baixas concentrações de vitaminas B6, B9 e B12, principalmente esta última, em mulheres fazendo uso de contraceptivos orais durante períodos prolongados. A hipótese é de que o estrogênio na fórmula seria a razão da absorção prejudicada. No entanto, este resultado nem sempre está associado a concentrações significativamente mais altas de outros marcadores associados com o comprometimento do estado da cobalamina, o que pode sugerir uma redistribuição em vez da perda da B12 intracelular.

Sintomas da deficiência

Por ser essencial para a integridade dos sistemas nervosos central e periférico, e participar da formação das hemácias, a falta da vitamina B12 pode provocar alterações hematológicas ou neurológicas. Como são sintomas considerados subjetivos, facilmente acabam atribuídos a outras causas, como estresse e falta de sono. Assim, é importante ficar atento a duração e intensidade dos sinais.

- Alterações hematológicas: decorrentes da interferência na produção dos glóbulos vermelhos necessários para fornecer oxigênio para todo o corpo. Com isso, é muito comum sentir sintomas como falta de ar, fraqueza, vertigem, tontura e zumbido.

O prejuízo na absorção de vitamina B12 pode ocasionar a anemia perniciosa, derivada de um mecanismo autoimune em que a própria resposta imunológica destrói as células parietais do estômago. Como consequência, ocorre perda do fator intrínseco necessário para a ligação com a vitamina B12 ingerida.

- Alterações neurológicas: a vitamina B12 é fundamental na manutenção da bainha de mielina, que recobre os nervos. Sem ela, ocorre um desgaste que recebe o nome de desmielinização, processo que afeta a condução de sinais nos nervos, causando prejuízos na sensação, movimento, cognição e outras funções. Isso provoca formigamento nas mãos e pés, depressão, confusão mental e perda de memória.

- Sintomas adicionais de deficiência de vitamina B12: aqui entram sinais como dificuldade em manter o equilíbrio, depressão, falta de concentração e desorientação. Os sintomas neurológicos da deficiência de vitamina B12 podem ocorrer sem anemia; portanto, o diagnóstico e intervenção precoces são importantes para evitar danos irreversíveis.

Como confirmar se estou com deficiência de B12?

Por mais contraditório que pareça, medir a vitamina B12 não é a melhor maneira de detectar a falta do nutriente no organismo, pois algumas pessoas com deficiência podem mostrar níveis normais de B12 no sangue.

A melhor forma de avaliar a dosagem da vitamina B12 é medindo os níveis no organismo de uma substância chamada ácido metilmalônico e e homocisteína, ambos os substratos das duas enzimas dependentes de cobalamina, que permite avaliar a deficiência da vitamina intracelular. No entanto, esse exame é extremamente caro.

Assim, outras informações podem auxiliar na avaliação do nível da vitamina B12 como hemograma completo, B12 sérica, holotranscobalamina (haptocorrina) e homocisteína. Para avaliar a deficiência de vitamina B12 também é possível usar o teste de Schilling, realizado para determinar problemas na absorção da vitamina relacionados à insuficiência de fator intrínseco.

Fontes: Adriane Moreira Machado, professora do departamento de nutrição da Escola de Enfermagem da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais); Ana Paula Barrére, nutricionista da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein; Eric Slywitch, médico e docente do curso de especialização do GANEP (Grupo de Nutrição Humana); Maria Fernanda Vischi D´Ottavio, nutricionista do Clinic Check-up do HCor (Hospital do Coração).