Topo

Alimentação

Ideias e informações para você comer melhor


Alimentação

13 dicas para ajudar você a criar o hábito de cozinhar

iStock
Imagem: iStock

Chloé Pinheiro

Colaboração para o VivaBem

03/09/2019 04h00

Você é do tipo que até pensa em cozinhar, mas acha que nunca terá tempo para isso e acaba pedindo um delivery mesmo? Saiba que dá para transformar o ato num momento prazeroso e comer comida caseira mesmo em meio à rotina puxada. Exige alguma dedicação, claro, mas nada de esforços hercúleos.

"Por conta da praticidade dos alimentos prontos, em restaurantes ou industrializados, criou-se um paradigma de que cozinhar dá trabalho demais e passou-se a preferir a praticidade", comenta Viviani Fontana, nutricionista e membro da diretoria do CRN-3 (Conselho Regional de Nutricionistas 3ª região do Estado de São Paulo e Mato Grosso do Sul).

Confira abaixo dicas para quebrar esse tabu e estreitar de vez seus laços com as panelas:

1. Foque nas vantagens

Quem cozinha em casa tem o privilégio de saber exatamente o que vai no prato e não corre o risco de ingerir sem saber níveis exagerados de sódio, açúcar e gordura. Comer em casa não é sempre sinônimo de comer melhor, mas quando você controla os processos pode privilegiar ingredientes naturais de verdade, evitar temperos industrializados e deixar a comida, no geral, mais saudável.

2. Comece aos poucos

Não adianta querer fazer uma receita de restaurante cinco estrelas sem conhecer as técnicas básicas da cozinha. Coisas complicadas podem acabar traumatizando o estreante. Que tal testar primeiro os básicos da cozinha cotidiana? Um bom arroz, feijão, tempero de carnes, preparar um ovo, cortar bem diversos legumes, um sanduíche caprichado. Na medida que a desenvoltura aumentar, parta para o elaborado.

3. Compre utensílios básicos

A vida fica melhor com uma boa faca. Como são vários tipos, se você é iniciante, prefira a do chef, um modelo que faz de tudo. Tábua de corte, frigideira, uma panela de pressão, panela média com tampa e espátula de silicone completam uma lista básica. Deixe para fazer grandes investimentos conforme for pegando o hábito. Falando nisso...

4. Conte com a ajuda da tecnologia

Ela está aí para isso. Os eletroeletrônicos, como fritadeiras elétricas e panelas digitais, podem poupar boas horas na cozinha e ainda tornar alguns preparos mais saudáveis, reduzindo o uso de gordura. Outra vantagem deles é a praticidade, pois costumam contar com um timer que permite que você faça outras tarefas enquanto a comida fica pronta.

As compras de ingredientes também ficaram mais fáceis nos tempos modernos. Alguns serviços entregam cestas semanais de vegetais em casa, para poupar a ida a feira, e muitos mercados contam com loja virtual.

5. Aproveite a memória afetiva

Uma boa maneira de se conectar com a cozinha é, antes de tudo, cozinhar o que você gosta e resgatar bons momentos ligados a ela. Saber que irá saborear a própria versão daquela receita do restaurante que você ama, da avó ou da mãe pode aumentar a disposição para colocar as mãos na massa.

6. Divida a comida

A comida compartilhada fica ainda mais gostosa. Se você mora sozinho, que tal convidar os amigos para jantar, levar um pouco para o vizinho ou guardar para oferecer no trabalho no dia seguinte? O ato pode render elogios, estreitar vínculos e trazer um pouco mais de alegria para o dia. Vale também socializar por meio da comida —criar um grupo de WhatsApp para trocar receitas, por exemplo.

7. Explore sabores

A batata não precisa ser sempre cozida, e nem precisa ser sempre batata —há muitos outros tubérculos por aí. Teste novos métodos de preparo, temperos e especiarias. A monotonia alimentar pode azedar a relação com a cozinha, e o processo de descoberta e estímulo do paladar deixa o preparo mais interessante, além de agregar uma mudança de nutrientes no dia a dia.

8. Deixe tudo pré-preparado

Ao chegar do mercado, dedique um tempo para lavar a salada, higienizar frutas, branquear legumes e congelar o que for preciso, já em porções para serem feitas durante a semana. A ideia é ter um pré-preparo que já seja metade do caminho. Por exemplo: se você tiver um brócolis pronto e um filé de frango no freezer, só precisará passar ambos pela frigideira com um fio de azeite e pronto, o jantar está servido.

9. Faça receitas mais práticas durante a semana

Claro que um prato elaborado pode ser uma atividade de lazer no final de semana, mas durante a semana escolha preparações mais práticas, que usem os itens pré-preparados como os descritos acima. Receitas de uma panela só, assados de legumes e carnes e saladas são boas opções para ganhar tempo tanto no preparo quanto na limpeza da bagunça depois.

10. Cozinhe tudo de uma vez

Se o tempo é escasso, dedique um momento da semana para cozinhar a maior parte do que for comer nos próximos dias. Depois, é só separar em marmitas —ou as porções de cada alimento separado, como preferir. Veja dicas para facilitar o preparo das marmitas e deixa-las mais saudáveis.

11. Siga um ritual

O preparo fica mais simples ao seguir uma das regras básicas da cozinha profissional: organizar tudo antes de começar. É o famoso mise en place. Separe tudo que você vai usar para cozinhar: panelas, utensílios, tábua e ingredientes. Depois, descasque, corte e porcione nas medidas solicitadas na receita, para só ir acrescentando em cada etapa.

12. Monte uma boa despensa

Problema clássico: você pensa em cozinhar, chega em casa e descobre que não tem nada. Por semana ou mensalmente, a depender do tempo disponível, faça uma lista de compras e abasteça a sua despensa com itens versáteis. Só não exagere para a comida acabar não estragando em casa.

Veja algumas sugestões básicas:

  • Não-perecíveis: arroz (integral, branco, sete grãos), leguminosas (feijão, grão de bico, lentilha);
  • Proteínas: coxa, sobrecoxa ou peito de frango; cortes suínos magros; filés de peixe; carne moída, uma peça de carne bovina com um pouco de gordura para ir ao forno. Para os vegetarianos, cogumelos e as próprias leguminosas, como soja, grão de bico e ervilha;
  • Vegetais: cebola, alho, tubérculos (batata, mandioca, mandioquinha), hortaliças, que podem inclusive ser compradas prontas e higienizadas, brócolis e outros;
  • Temperos: louro, orégano, alecrim, tomilho, páprica e pimenta calabresa formam um arsenal básico para preparar diversos pratos. As ervas frescas, como manjericão, salsinha e cebolinha, podem ser congeladas e usadas aos poucos.

13. Inspire-se!

Reality shows culinários, séries, filmes, canais do YouTube... Tem conteúdo em todos os formatos sobre comida na internet, é só procurar alguém que fale a sua língua. Até os rótulos de alimentos no mercado trazem receitas que podem te tirar da mesmice e despertar o chef interior.

Fontes: Viviani Fontana, nutricionista e membro da diretoria do CRN-3 (Conselho Regional de Nutricionistas 3ª região do Estado de São Paulo e Mato Grosso do Sul) e Flavia Gazola, chef e instrutora de gastronomia do Senac EAD (Educação a Distância)

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Alimentação