Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Washington confundiu doença cardíaca com azia; infarto provoca queimação?

Washington comemora gol pelo Fluminense - Rudy Trindade/Folha Imagem
Washington comemora gol pelo Fluminense Imagem: Rudy Trindade/Folha Imagem

Gabriela Ingrid

Do UOL VivaBem, em São Paulo

25/07/2019 14h55

Resumo da notícia

  • O ex-jogador procurou um médico após sentir queimação no estômago por dias. A azia, no caso, era sinal de que sua artéria estava 90% obstruída
  • A espécie de azia não é comum no caso de um pré-infarto. Ela só deve ser considerada preocupante quando vier associada a outros fatores de risco
  • Grande esforço físico, mal-estar, sudorese, além de diabetes, histórico familiar de doenças no coração e obesidade são sinais para ficar alerta

O ex-jogador Washington Stecanela Cerqueira revelou, em uma entrevista ao UOL Esporte, que sentiu uma espécie de queimação no estômago por dias antes de procurar um médico e descobrir que estava com uma de suas artérias com 90% de obstrução.

"Eu senti um sintoma, parecia uma azia, uma queimação. Isso foi numa quarta. Só que era assim: dava queimação forte, depois quando parava para alongar, passava e eu jogava normal. Joguei assim no sábado. Na segunda, eu treinei, e a queimação ficou muito mais forte, com uma leve dor no braço. Na terça, mais forte ainda", conta Washington.

O sintoma fez com que ele procurasse ajuda e, durante um teste na esteira, descobriu que precisava colocar um stent --tubo que abre a artéria e permite a passagem de sangue-- com urgência. "Eu não corri um minuto. O médico falou: 'Para. Está tudo alterado. Sala de cirurgia'", lembra ele.

A artéria entupida é a causa de diversas doenças cardiovasculares, como infarto, morte súbita e acidentes vasculares cerebrais (AVC). Mas como descobrir que você tem um acúmulo de placas nesses "ramos" que nutrem o coração? A azia que Washington sentiu é um sintoma comum?

A relação entre azia e infarto

De acordo com Leopoldo Piegas, cardiologista e coordenador do Programa de Cuidados Clínicos do Infarto Agudo do Miocárdio do HCor (Hospital do Coração), em São Paulo, a sensação de queimação é um sinal incomum de que há um risco de infarto. "Quando o indivíduo tem falta de circulação no miocárdio, o sintoma mais comum é a dor forte no peito, como conhecemos, que irradia para o braço, mandíbula e eventualmente para o estômago, diz. "A questão é que quando ela chega no estômago, dificilmente é confundida com uma queimação, mas pode acontecer. É uma manifestação atípica", alega Piegas.

Washington realiza exames no coração - Jonas Oliveira/Folha Imagem
Washington realiza exames no coração
Imagem: Jonas Oliveira/Folha Imagem

Dante Senra, doutor em Emergências Clinicas pela FMUSP (Faculdade de Medicina da USP) e médico especialista em cardiologia, clínica médica e terapia intensiva, concorda que é menos comum, mas que pode ocorrer. "A obstrução das coronárias pode se manifestar de várias formas clinicas ou nenhuma. Para se ter ideia, só 1/3 das pessoas que tem obstrução severa, como foi o caso do ex-jogador, apresenta sintoma. No outro 1/3, a primeira manifestação é a morte súbita. E o 1/3 restante abre o quadro com infarto", explica o médico.

Quando há sintomas, eles podem ser variados, como dor nas costas, na mandíbula, no pescoço e até no dente. Mas quando ele aparece sob a forma de uma espécie de azia, a explicação pode estar no local da obstrução. "O mais comum da queimação relacionada ao infarto é quando a obstrução ocorre em uma coronária chamada direita, que irriga a parede inferior do coração", explica Senra. Segundo ele, essa parte do coração repousa em cima do diafragma e gera um sintoma epigástrico, como se fosse uma dor de estômago, enganando muitas pessoas e até os próprios médicos.

Cerqueira, no caso, teve sorte. "Ele poderia ter tido uma morte súbita. Quem tem artéria obstruída de forma absurda, como a dele, o infarto é quase certo".

Como eu sei que minha azia é sinal de alerta?

A azia é uma queixa frequente da população, mas não necessariamente significa que a pessoa está sofrendo um princípio de infarto. "O paciente deve se atentar aos sinais: procure um médico se a dor vier associada a muito esforço físico, como jogar futebol ou subir escadas, e se ele sentir junto com ela cansaço, mal-estar e sudorese excessiva", diz Piegas.

Washington comemora gol marcado para o Fluminense contra o São Paulo - Robson Ventura / Folha Imagem
Washington comemora gol marcado para o Fluminense contra o São Paulo
Imagem: Robson Ventura / Folha Imagem

Além disso, corra para um cardiologista se você for homem, hipertenso, obeso, for tabagista, tiver colesterol alto ou familiares que já tiveram algum problema coronário associado a esse tipo de queimação. "O jogador fugiu muito padrão, porque é jovem, atleta. Mas geralmente o problema é uma junção de diversos tipos de fatores --e o paciente deve estar atento. No caso de Washington, ele ainda disse que tinha diabetes, um fator de risco primordial para um problema no coração", sugere Senra.

Como tratar a obstrução da artéria?

Ao diagnosticar a obstrução, o tratamento geralmente é a colocação do stent, que irá desobstruí-la. A ponte de safena é exceção e só é indicada quando a obstrução é no tronco da artéria coronária. No caso da ponte, usa-se um enxerto retirado de uma veia ou artéria para fazer uma ponte que liga a parte saudável da artéria obstruída à aorta, permitindo que o coração volte a ser revascularizado.

Mas isso não garante que o paciente nunca mais terá o problema. "Esses procedimentos tratam a obstrução e não o que a causou. É essencial que o indivíduo cuide da sua saúde, evitando que mais placas se acumulem nas artérias", alerta Piegas.

Mais Saúde